Embraer publica um novo vídeo e divulga mais recursos dos E-Jets cargueiros recém-lançados

Na busca por promover seu primeiro E-Jet exclusivamente cargueiro, lançado oficialmente no mês de março, a Embraer publicou na terça-feira (24) um novo vídeo mostrando detalhes do projeto. Em abril, a fabricante brasileira já havia atingido um importante marco, com a venda de dez unidades à empresa de leasing aeronáutico Nordic Aviation Capital (NAC).

O principal argumento de venda da Embraer com os E190F e E195F (aeronaves da série E1, convertidas de passageiro para carga), é que eles são o equipamento perfeito para atender às demandas do e-commerce global, que exige entregas muito ágeis e descentralizadas. A entrada em serviço dos E-Jets cargueiros está prevista para o início de 2024. A Embraer enxerga um mercado para aeronaves desta dimensão de aproximadamente 700 aviões ao longo de 20 anos.

Assista ao vídeo publicado pela Embraer nas redes sociais.

O projeto

Com a versão de carga, a Embraer vislumbra três grandes oportunidades:

– As atuais aeronaves de carga de fuselagem estreita são antigas, ineficientes, altamente poluentes e estão dentro da janela de reforma ou aposentadoria;

– A transformação contínua da intersecção entre comércio, negócios e logística levou a uma demanda generalizada e sem precedentes por frete aéreo, sobretudo por entregas no mesmo dia e operações descentralizadas, a missão perfeita para cargueiros do tamanho dos E-Jets;

– Os primeiros E-Jets que entraram em serviço há cerca de 10 ou 15 anos estão saindo de arrendamentos de longo prazo e iniciando seu ciclo de substituição durante a próxima década.

A conversão completa para carga prolongará a vida útil dos E-Jets mais maduros por mais 10 a 15 anos, e incentivará a substituição por aeronaves mais eficientes, mais sustentáveis e mais silenciosas. As conversões de E-Jets P2F da Embraer proporcionarão desempenho e economia sem igual. Os E-Jets de carga terão 50% a mais de capacidade de volume e três vezes mais autonomia do que os grandes turboélices de carga e custos de operação até 30% do que os jatos narrowbodies.

A conversão para cargueiro será realizada nas instalações da Embraer no Brasil e inclui:

– porta de carga do convés principal;

– sistema de movimentação de carga;

– reforço do piso;

– barreira de carga rígida (RCB) – Barreira 9G com porta de acesso;

– sistema de detecção de fumaça no cargueiro, incluindo extintores de classe “E” no compartimento de carga superior;

– alterações no sistema de gestão do ar (arrefecimento, pressurização, etc.);

– remoção interior e provisões para transporte de materiais perigosos.

O E190F pode transportar uma carga útil de 23.600 libras (10.700 quilos) enquanto o E195F pode transportar uma carga útil de 27.100 libras (12.300 quilos).

Com informações da Embraer

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias