Embraer registra, pela primeira vez, a perda de um cliente de aviões da série E2

Uma mudança recente no livro de pedidos da Embraer, divulgada junto com os resultados do segundo trimestre do ano, chamou a atenção. Isso porque, da lista de encomendas, a fabricante brasileira removeu todas que haviam sido feitas pela empresa aérea Congo Airways.

Essa mudança, que não foi publicamente explicada, pode confirmar uma notícia veiculada em abril, que dizia que a empresa aérea de bandeira da República Democrática do Congo poderia cancelar todo seu pedido com a fabricante brasileira para encomendar aeronaves da Airbus no lugar, especificamente o A220-300, concorrente dos E-Jets.

Atualmente, a Congo Airways opera uma frota de jatos Airbus A320 e turboélices Dash 8. Até pouco tempo atrás, chegou a operar dois Embraer E190-E1 alugados da vizinha Kenya Airways, mas que já foram devolvidos.

Além desses, a empresa tinha encomendados quatro aviões de nova geração E2, sendo que um deles, do modelo E190-E2, já estava pronto na fábrica da Embraer há meses, mas até hoje não havia sido entregue.

Essa é a primeira perda que a Embraer registra de um cliente que já tinha encomendado um jato E2. Veja abaixo a atual lista de pedidos dos jatos Embraer E190-E2.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Já voando o modelo concorrente, Air Europa anuncia a compra do...

0
A espanhola Air Europa quer voltar a crescer após a Pandemia do Coronavírus e anunciou a sua primeira compra de aviões.