Empresa aeronáutica propõe um novo avião ‘widebody’ com três pares de asas

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Imagem da SE Aeronautics

A SE Aeronautics, uma empresa de tecnologia sustentável de viagens aéreas, anunciou ontem (17) que está trabalhando no conceito de um avião comercial de grande porte, moldado 100% monocoque, que seria uma nova geração de aeronaves. A ideia, diz a empresa, gira em torno da eficiência, sustentabilidade, segurança, conforto e custo operacional.

A tecnologia com patente pendente da SE Aeronautics foi chamada de SE200, uma aeronave de médio porte, de dois corredores, com capacidade para até 264 passageiros e que funcionaria como um avião regional leve ou de longo alcance com autonomia para voar até 13 mil quilômetros.

Além disso, a empresa disse esperar que esse novo design dobre a vida útil de uma aeronave, ao mesmo tempo que reduz o custo geral pela metade, em comparação com outras aeronaves de seu tamanho. Com ênfase na segurança, o projeto é feito de uma peça sólida moldada que é muitas vezes mais resistente do que as aeronaves existentes. O combustível não é armazenado nas asas, mas em bolsas autovedantes no topo da fuselagem e, em caso de pouso de emergência sobre a água, a aeronave flutuaria.

“Os fabricantes de aeronaves têm usado o mesmo projeto de aeronave nos últimos 60 anos, com poucas exceções. Nossa tecnologia inovadora e novo design de aeronave reduzirão o consumo de combustível em 70% e as emissões de CO2 em 80%, conforme medido por assento-quilômetro. O design é uma configuração de asa tri-leve mais eficiente que melhora muito a sustentação sobre o arrasto, resultando em capacidades de decolagem e pouso curtas (STOL) e voos extremamente longos. A construção é toda composta, moldada em uma peça resistente e mais segura. Também incorporamos asas super finas e longas e alongamento completo do nariz à cauda”, diz Lloyd Weaver, engenheiro-chefe da SE Aeronautics.

A empresa encerra sua nota comentando que “o futuro da aviação mudará drasticamente devido aos novos componentes de design, com aviões mais econômicos e um design focado na eficiência, sustentabilidade e segurança”.

EM RESUMO – O projeto é exótico e muito diferente da maioria do que se vê por aí atualmente, seguindo uma linha dissonante do que apostam as fabricantes atuais como Boeing, Airbus e Embraer. A empresa aposta num ‘widebody‘ (avião de corpo largo, com mais de um corredor), com a mesma capacidade de passageiros de um Boeing 787, mas muito menor em comprimento e envergadura, algo como um Airbus A321 com dois corredores. Por fim, o design com três asas poderia enfrentar desafios nos aeroportos mundo afora. De qualquer maneira, são ideias disruptivas que mudam o mundo.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Entidades discutem ideia de “hub de carga” que se aplicaria a...

0
Conforme o executivo explicou, atualmente, as rotas sul-americanas têm baixa competitividade no transporte aeroviário de cargas.