Empresa nórdica aposenta avião Airbus A350 com menos de dois anos de uso

Uma mudança drástica numa empresa aérea nórdica fez com que ela aposentasse um moderno jato Airbus A350 apenas dois anos após recebê-lo.

Foto por Clément Alloing

A decisão partiu da SAS, empresa nórdica e de bandeira da Escandinávia, que compreende a Dinamarca, Noruega e Suécia. A empresa tem passado por uma reestruturação completa após a pandemia, que foi exacerbada por uma greve de duas semanas dos pilotos e fechamento do espaço aéreo russo, culminando em prejuízos seguidos e acumulados.

Sem muita saída, a empresa entrou no chamado Chapter 11 da Lei de Falências dos EUA e, no projeto de reestruturação, foi acordada a redução da frota que é alugada. Com isso, dois jatos A350, de matrículas SE-RSB e SE-RSC, recebidos pela empresa semanas antes do início da pandemia, em fevereiro de 2020, foram enviados para Tarbes, na França, para serem estocados e devolvidos ao lessor, que é a financeira e dona da aeronave.

O aeroporto de Tarbes é um conhecido centro de estocagem e armazenamento nos Pirineus franceses, que se beneficia da proximidade com a fábrica da Airbus, servindo de estacionamento para aeronaves que aguardam uma decisão do dono ou novo comprador. No local já estiveram os jatos brasileiros que eram da Avianca Brasil e atualmente um A350 da Azul que está sendo preparado para finalmente voar na companhia brasileira.

A SAS também irá retirar da sua frota três jatos Airbus A330-300, três A320neo, um A321ceo e um Boeing 737-700. Durante a Pandemia o A350 fez uma inédita visita ao Brasil:

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias