A enrolada jornada de um clássico Boeing 727 até sua nova casa

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Enquanto aguardamos para acompanhar a viagem do Boeing 727 PP-VLD que voou na VARIG e em breve será levado do Aeroporto de Porto Alegre para sua nova casa em Nova Petrópolis (RS), outro trijato semelhante passou pelo mesmo processo nas últimas semanas, porém, na Inglaterra.

Johnny Palmer, criador e gerente da Pytch, uma grande produtora britânica de criação de conteúdo, estratégia de comunicação, áudio ao vivo, entre outros, disse que sua experiência ao levar um Boeing 727 por rodovias foi um “caos absoluto”.

O empresário de tecnologia descobriu o jato dos anos 1960 no bastante conhecido “cemitério de aeronaves” do Aeroporto Cotswold, próximo à vila de Kemble, na Inglaterra, que recentemente recebeu vários Jumbos 747-400 aposentados da British Airways. Adquirindo o trijato, decidiu que vai transformá-lo em um escritório de sua empresa em Bristol.

O avião foi construído em 1968 e usado pela Japan Airlines antes de se tornar propriedade privada em meados dos anos 1970. Agora, abandonado e sem asas e um motor, Johnny o adquiriu por £ 100.000 (cerca de 790 mil reais).

Após meses de planejamento, no dia 27 de fevereiro a fuselagem de cerca de 40 metros, sem asas e sem cauda, foi amarrada a um caminhão e conduzida pelas vias M4, M5 e M32 de Kemble até a base de Palmer, em Brislington. Todos os detalhes da jornada foram mostrados em uma produção no canal da Pytch no YouTube.

Johnny disse: “Foi um caos absoluto, a coisa toda! O trailer passou por um buraco na pista, e também ficamos presos em algumas esquinas e cruzamentos. Houve alguns momentos difíceis. Como quando a polícia se recusou a usar a rota planejada, o que levou a raspá-lo sob uma ponte da rodovia, e quando os serviços de emergência tiveram que passar por nós.”

A apenas 300 metros de seu destino final, uma van estacionada pouco antes de uma curva fechada travou o caminhão e teve de ser retirada do caminho. Por fim, cerca de sete horas depois de deixar Kemble, o Boeing 727 foi entregue em seu local de descanso final no parque empresarial de Palmer.

No domingo, 28 de fevereiro, ele foi colocado em posição por “dois guindastes gigantes”, faltando apenas ser reinstalado seu cone do nariz.

Johhny disse: “Ver isso se tornado uma coisa real depois de trabalhar nele por meses em CAD (sigla para os softwares de Design Auxiliado por Computador) me fez sorrir de orelha a orelha. Quando finalmente o vi no lugar, fiquei pasmo – é absolutamente enorme, especialmente porque o colocamos em uma estrutura, o que significa que a aeronave fica a mais de sete metros de altura.”

Segundo o empresário, o jato será levado de volta ao esplendor dos anos 1970 sem nenhum traço de tecnologia moderna.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Força Aérea Brasileira comemora o “Dia da Aviação de Asas Rotativas”

0
No dia 3 de fevereiro, comemora-se o Dia da Aviação de Asas Rotativas devido ao primeiro resgate em combate pela FAB em 1964.