Está no ar agora o Boeing 747 para lançar o foguete LauncherOne; assista ao vivo

O Boeing 747 que leva o foguete sob a asa esquerda – Imagem: Virgin Orbit

Como visto no final de semana, os parceiros do primeiro lançamento orbital a ser realizado no Reino Unido anunciaram que a janela inicial para a histórica missão Start Me Up seria aberta oficialmente nessa segunda-feira, 9 de janeiro, às 22h16 UTC (19h16 de Brasília).

O sistema de foguete LauncherOne, da Virgin Orbit, que conduzirá ao espaço diversos satélites, agora está acoplado à asa esquerda do avião Boeing 747, o Jumbo Jet, apelidado de Cosmic Girl (Garota Cósmica), que decolou do Spaceport Cornwall, no Aeroporto Newquay.

A missão está sendo transmitida ao vivo pela Virgin Orbit, conforme pode ser assistido no player a seguir, onde será possível acompanhar o momento da liberação do foguete durante o voo. Além disso, abaixo do player, o AEROIN disponibiliza também a tela de rastreamento do voo do Boeing 747:

Tela 1 – Transmissão ao vivo da missão

Tela 2 – Rastreamento do Boeing 747 em tempo real

Start Me Up é um esforço colaborativo entre a Agência Espacial do Reino Unido (UKSA), Cornwall Council, Royal Air Force e Virgin Orbit, que levará satélites de sete clientes para o espaço, incluindo cargas comerciais e governamentais de várias nações e uma missão colaborativa EUA-Reino Unido.

A missão, intitulada Start Me Up em homenagem ao hit dos Rolling Stones de 1981, contém muitas novidades: o primeiro lançamento orbital do Reino Unido, o primeiro lançamento internacional da Virgin Orbit e o primeiro lançamento comercial da Europa Ocidental.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Avião Boeing 767-300 LATAM

Latam Airlines se vê em meio à disputa política entre governos...

0
A Argentina foi duramente criticada pelo Governo das Ilhas Falkland (Malvinas, para os argentinos) após acusações de que o governo de Alberto