Estatal russa sinaliza que vai demitir uma centena de pilotos por falta de peças para os aviões

A Rossiya tem também aviões russos na frota – Foto: Anna Zvereva / CC BY-SA 2.0, via Flickr

Em meio à crise da aviação russa engatilhada pela invasão na Ucrânia, as empresas aéreas padecem. A estatal Rossiya Airlines, ligada ao grupo Aeroflot, por exemplo, está planejando dispensar um grande contingente de seus pilotos de aeronaves Airbus A319 e A320, totalizando cerca de 100 profissionais.

A companhia diz que a suspensão é temporária, informou o jornal Kommersant, citando uma carta interna da transportadora assinada pelo vice-diretor. Espera-se que os pilotos sejam dispensados ​​em uma programação rotativa. Algumas fontes afirmaram que a companhia aérea com sede em São Petersburgo alternará os pilotos em licença a cada sete dias. 

Tal decisão é baseada em “circunstâncias de emergência que afetam as atividades financeiras e econômicas da companhia aérea”, observou a carta, que não fala sobre os membros da tripulação de cabine, mas entende-se que eles não serão afetados.

Em especial, os problemas da companhia aérea residem na escassez de peças de reposição de aeronaves ocidentais devido à incapacidade de importar peças devido às sanções internacionais impostas à Rússia. Com isso, uma quantidade crescente de aeronaves tem sido mantida no chão, sem condições de segurança para voar. As aeronaves russas, como o SSJ, que abre esta matéria, seriam menos afetadas.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Irã revela base aérea “secreta e subterrânea”, mas que já foi...

0
A República Islâmica do Irã revelou em vídeo a sua mais nova base aérea, que é subterrânea e seria secreta, mas ela foi descoberta.