Ethiopian inicia nova aventura na África com entrada em sua sétima empresa aérea

A Ethiopian Airlines está iniciando uma nova “aventura” na África, com entrada no capital da estreante Nigeria Air. A nova empresa, que será lançada no quarto trimestre deste ano, voará inicialmente com três Boeing 737-800 alugados da empresa etíope. No negócio, a Ethiopian terá 49%, com outros 46% nas mãos de investidores privados e 5% pertencente ao governo da Nigéria.

A primeira aeronave está pronta para chegar a Abuja para inspeção pela Autoridade de Aviação Civil da Nigéria (NCAA), voos de demonstração e auditoria como parte dos requisitos de certificação. Com o tempo, mais dois devem chegar para completar o mínimo de três exigido.

O consórcio liderado pela Ethiopian Airlines investirá US$ 300 milhões ao longo dos próximos anos, para levar a frota a 30 aeronaves e iniciar voos internacionais até o ano de 2024. Embora a Nigéria tenha uma sorte de empresas aéreas, o governo sente falta do que chama de uma flagship, que seja sólida e leve o nome do país ao mundo.

Segundo o governo nigeriano, o consórcio liderado pela Ethiopian foi escolhido após um processo de seleção “cuidadoso e detalhado” regido pela Comissão Reguladora de Concessões de Infraestrutura (CICV) do país. Uma equipe executiva de especialistas em aviação trabalha desde fevereiro de 2022 para definir todos os requisitos regulatórios e do setor necessários para lançar a transportadora nacional.

Em 6 de junho de 2022, a Autoridade de Aviação Civil da Nigéria (NCAA) emitiu a Licença de Transporte Aéreo da Nigéria Air depois de aprovar todos os executivos interinos em maio de 2022.

OUTRAS PARTICIPAÇÕES – A Ethiopian Airlines é a maior empresa aérea da África. De capital estatal etíope, a companhia já tem 100% da Ethiopia-Mozambique Airlines, 45% da Zambia Airways, 49% da Guinea Airways, 49% da Chad Airlines e 49% da Air Malawi.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Após pouso duro e 1 mês fora de serviço, Boeing 747...

0
Felizmente para a companhia aérea e para os que admiram os Boeings 747, o equipamento pôde ganhar os céus novamente.