Início Aviação Militar

EUA aciona suas companhias aéreas para ajudar na evacuação de Cabul

O governo americano acaba de acionar a frota aérea da reserva civil, em que companhias aéreas trabalham para os militares.

Militares da USAF embarcam em 747 da United – U.S. Air Force photo by Christian Sullivan

Em nota oficial, o Departamento de Defesa dos EUA (DOD) afirmou que o General de Exército Lloyd J. Austin III, chefe do Departamento, ordenou a ativação do estágio 1 da frota aérea da reserva civil (CRAF). Esta ordem serve para que as companhias aéreas americanas e suas aeronave sejam utilizadas na Operação Allies Refuge, ou Refugiados Aliados, que é o nome oficial da evacuação do Afeganistão em curso.

Este tipo de ativação da CRAF ocorre quando os recursos militares estão perto do limite em termo de material/pessoal para realizar o transporte, ou quando existe recurso disponível, mas teria que ser deslocado de outro lugar, gerando mais gastos e um tempo maior, além de poder deixar descoberta uma outra região.

De maneira geral, é utilizado para que os aviões militares dos EUA não percam a capacidade de operar globalmente, podendo estar em qualquer ponto do globo em questão de horas caso algo de pior aconteça.

Segundo a nota do DOD, foram acionadas 18 aeronaves: a United deslocará quatro aviões, enquanto a American Airlines, Atlas Air, Delta e Omni irão utilizar 3 jatos cada, já a Hawaiian colocará a disposição dois jatos. Um dos Boeings 777-300ER já decolou nesta missão:

O General Lloyd destaca que nenhum destes aviões irá voar para Cabul, dado o risco atual da operação na cidade. Ao invés disto as aeronaves serão deslocadas para bases aéreas próximas em países aliados, enquanto os aviões militares farão uma ponte de Cabul para estes locais, definidos como “paraísos seguros” e bases temporárias.

Dentre estes locais estão incluidos Doha, no Catar, Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, Cidade do Kuwait, e Manama, no Bahrein. A operação é comandada pela Força Aérea dos EUA (USAF) mas a tripulação é das empresas aéreas que fazem parte do programa CRAF.

Esta é a terceira vez que o CRAF é acionado desde a sua criação, a primeira ocorreu na Operação Tempestade no Deserto em 1991 (Guerra do Golfo – Invasão do Kuwait pelo Iraque) e depois na Operação Liberdade do Iraque em 2002 (Guerra do Iraque ou Segunda Guerra do Golfo).

Militares da 10ª Divisão de Montanha (que lutou ao lado do Brasil na Segunda Guerra) embarcam num Airbus A330 da National Airlines – U.S. Army photo by Sgt. Michael Wilson

Para ser parte da CRAF, é necessário que a companhia aérea americana mantenha ao menos 30% de sua frota de aviões de passageiros e/ou 15% da frota cargueira capaz de ser empregada no programa, além de ter disponível 4 tripulações completas para cada aeronave do programa.

Atualmente, são 24 companhias aéreas (listadas abaixo) totalizando 450 aviões no programa CRAF, que tem três estágios, sendo o 1 o menor e o 3 o maior, com todo os 450 aviões empregados. As empresas aéreas não são obrigadas a entrar no programa, mas são muito bem vistas se fizerem parte, além de serem pagas pelo serviço. Veja as empresas participantes do CRAF:

  • ABX Air 
  • Air Transport International 
  • Alaska Airlines
  • American Airlines 
  • Atlas Air 
  • Allegiant Air
  • Delta Air Lines 
  • Jet Blue Airways
  • Federal Express Airlines (FedEx)
  • Hawaiian Airlines 
  • Kalitta Air Cargo
  • Lynden Air Cargo 
  • Miami Air International
  • National Airlines 
  • Northern Air Cargo
  • Omni Air International 
  • Polar Air Cargo 
  • Sky Lease I
  • Southern Air 
  • Southwest Airlines
  • Sun Country
  • United Air Lines 
  • United Parcel Service (UPS)

Com Informações do Departamento de Defesa dos EUA

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile