Início Acidentes e Incidentes

EUA exigem correção de bug que contribuiu para acidente com o Boeing 777

Os EUA tornarão obrigatória uma mudança no software do Boeing 777 que contribuiu para um acidente em 2013.

Foto: NTSB

A mudança ocorre quase 10 anos depois do acidente com um Boeing 777-200ER da sul-coreana Asiana Airlines em São Francisco, que vitimou 3 pessoas. Durante a aproximação, a aeronave estava lenta demais, perdeu sustentação e colidiu com o solo antes da pista, fazendo com que o Boeing literalmente “capotasse” em pleno ar, voltando a atingir o solo em frente.

A perda de sustentação foi ocasionada por uma redução na velocidade após a redução da potência. A investigação revelou que o piloto, que ainda estava em treinamento, não monitorou a velocidade da aeronave durante o pouso. Isso porque o profissional estava habituado com o sistema de proteção do Airbus que voava antes, e também foi instruído que, caso o Boeing chegasse na velocidade mínima para se manter em voo (velocidade de estol), o computador de voo iria automaticamente aumentar a potência dos motores para evitar a perda de sustentação e a consequente queda.

No entanto, isso não acontecia no Boeing 777. Soma-se a isso o fato de que a aérea não incentivava os seus pilotos a fazerem pousos manuais, tanto que era o primeiro pouso “na mão” feito pelo piloto. Criou-se na empresa uma cultura de sempre confiar na automação da aeronave.

Veja o vídeo do acidente abaixo:

Além disso tudo, outro motivo também levou ao acidente. Segundo a FAA, uma má programação do software também deveria ser ajustada. Segundo a agência revelou, o software “introduz uma falha ao não desativar o controle automático de potência durante a ativação manual para potência de decolagem”.

A Boeing já sabia desse erro e no ano passado enviou um boletim a todos os operadores do 777 no mundo, alertando sobre o problema e anexando uma correção. Porém isso agora vai virar regra, ao menos para os 353 jatos 777 registrados nos EUA, como diz uma nova diretiva assinada pela agência americana.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A