Ex-presidente de empresa aérea preso por não pagar excesso de bagagem

Cada lugar do mundo tem suas peculiaridades, cultura e leis mais ou menos rígidas. Dessa forma, um fato curioso foi relatado nessa semana pelo Bangkok Post, no qual um ex-presidente da companhia aérea estatal da Tailândia, a famosa Thai Airways, foi condenado a dois anos de prisão por não pagar 300 quilos de excesso de bagagem em 2009. Uma situação semelhante em países menos rígidos, “terminaria em pizza”.

Wallop Bhukkanasut, ex-executivo da aérea, foi condenado pelas acusações apresentadas pela Comissão Nacional Anticorrupção (NACC) do país. Segundo o órgão, o então presidente da empresa teria abusado de sua autoridade ao ordenar que a equipe da companhia aérea alterasse o peso declarado de sua bagagem para que ele pudesse fugir das cobranças pelo excesso, que são reguladas por lei na Tailândia.

Uma ocasião em específico chamou a atenção dos investigadores, quando ele e sua esposa retornaram do Japão, em novembro de 2009. Segundo os registros da empresa, ele trazia consigo mais de 300 quilos, mas não consta o pagamento do excesso de peso.

Quando uma investigação sobre o assunto, além de outras denúncias de corrupção, emergiram em 2010, ele renunciou ao cargo.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias