Executivo sênior de aérea pediu dinheiro para piloto sem qualificação entrar na empresa

Imagem: Anna Zvereva / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia

A filial de Moscou do Comitê Investigativo da Rússia disse em seu canal Telegram em 17 de janeiro que havia concluído uma investigação sobre três ex-diretores da empresa aérea S7 Airlines, “acusados ​​de suborno em grande escala ou facilitação”. Além disso, o diretor de voo é acusado de fraude.

De acordo com o jornal Izvestia, os investigados são o ex-vice-chefe executivo de operações de voo, Boris Kamyshev, o diretor de voo, Mansur Badrakov, e o instrutor de voo, Mikhail Gusev.

O Comitê Investigativo alegou que, em junho de 2021, os dois altos funcionários aceitaram um suborno no valor de US$ 22.000 por meio de um intermediário em troca da contratação de alguém como copiloto. Ao receber o dinheiro, o diretor de voo foi detido por oficiais da Diretoria T (Inteligência Tecnológica) do Serviço Federal de Segurança da Rússia.

O comitê também afirmou que, em setembro de 2020, o mesmo diretor de voo prometeu a um conhecido, mediante pagamento, que resolveria um problema com funcionários da Comissão de Especialistas Médicos do órgão regulador da aviação civil da Rússia, relacionado a uma opinião médica sobre a aptidão do filho para o treinamento de piloto. A mulher transferiu US$ 5.100 para sua conta bancária para posterior repasse aos médicos, mas ele “guardou o dinheiro para si mesmo”.

“As evidências coletadas no processo criminal, incluindo as conclusões de um exame de preparações de identificação forense e exames fonoscópicos e linguísticos formaram a base da acusação”, concluiu o comunicado. “O processo criminal, com a acusação aprovada pelo promotor, foi transferido para o Tribunal da Cidade de Domodedovo para consideração de seus méritos.”

A S7 Airlines disse ao Izvestia que Badrakov foi preso em 24 de junho de 2021 e imediatamente afastado de seu cargo. Ele está em prisão domiciliar desde junho de 2022. Gusev renunciou à empresa em 2021 e em junho daquele ano assinou um documento legal de não fuga e bom comportamento. Kamyshev foi destituído do cargo em julho de 2022 e também está em prisão domiciliar e aguarda decisão da Justiça.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Assista às ações no aeroporto de Viracopos após pedaços de asfalto...

0
Mais uma vez, uma das câmeras ao vivo nos aeroportos brasileiros permitiu o acompanhamento das ações tomadas para garantir a segurança.