Força Aérea e Marinha negociam permuta de Esquilos com a Airbus

Uma mudança no contrato das Forças Armadas com a Airbus está em negociação, liderada pela Força Aérea Brasileira e Marinha do Brasil.

H-50 Esquilo da FAB © Sgt Batista

A negociação envolve a compra conjunta dos helicópteros H225M Caracal (chamado assim na FAB, de Jaguar, no Exército, e Super Cougar, na Marinha), efetivada em 2008 com um acordo para a então Eurocopter, hoje Airbus Helicopters, montar as aeronaves em Itajubá, onde já estava estabelecida a Helibrás, subsidiária da fabricante francesa.

Na época foram comprados 50 helicópteros, que seriam divididos entre as três forças armadas, em versões de acordo com a necessidade das tropas. Segundo dados da Flight International, ao todo foram recebidas 34 aeronaves do modelo H225M pelos militares brasileiros, mas uma redução do pedido original está sendo negociada.

Como revelou hoje o Comandante da Aeronáutica, Carlos Baptista Júnior, está sendo negociada uma mudança no contrato para trocar os H225M Caracal pelos H125 Esquilo, que é o primeiro helicóptero a ser fabricado em terras brasileiras, e um dos mais populares do mundo, graças a sua manobrabilidade e mobilidade. Ele é utilizado por dezenas de forças policiais do Brasil, além de todas as forças federais.

H225M da Marinha – Divulgação

Desde 1980 o modelo é fabricado pela Helibrás, que foi instalada no país como parte do contrato do Brasil com a então Aerospatiale. Hoje são 78 aeronaves do modelo de um e dois motores operando nas três forças armadas. Porém, elas já dão sinal de idade, e precisam ser substituídas.

O Exército modernizou os seus AS550, que agora são chamados de H125M, movimento que FAB e Marinha não fizeram, e agora buscam a renovação da frota. Segundo o Brigadeiro, cada força deixará de receber um helicóptero H225M. Em compensação, a FAB receberá 12 unidades do Esquilo, já a Marinha ganharia 15 unidades (devido a versão naval do Caracal ser mais cara por conter mais equipamentos) e o Exército ganharia suporte logístico ampliado.

A princípio a troca não seria “chave na chave”, onde três helicópteros H225M se transformam em 27 aeronaves menores H125, mas sim uma adaptação e ampliação do contrato. O processo está sendo negociado pela FAB com a Airbus Helicopters, e não foi anunciado o valor adicional a ser pago ou possível previsão de entregas.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias