Força Aérea mostra, em vídeo, os bastidores do exercício de guerra em Santa Maria (RS)

Cena do vídeo que você assiste abaixo nesta matéria

Uma infraestrutura de alto padrão com tecnologia de ponta foi montada no Exercício Conjunto Tínia 2021, que aconteceu de 8 a 26 de novembro, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Para que o maior treinamento do ano realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB) atingisse o seu objetivo final, foi crucial a integração das equipes no solo, pilotos e controladores, além do apoio dos profissionais da saúde da FAB.

Na coordenação para que as aeronaves decolassem nos horários corretos, com segurança e eficiência, todo o conhecimento dos militares foi colocado à prova durante o adestramento. Conheça, a seguir, um pouco do trabalho de apoio durante o Exercício.

Hospital de Campanha (HCAMP)

Uma equipe formada por médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem se revezou no Hospital de Campanha (HCAMP) montado na Base Aérea de Santa Maria (BASM).

Segundo o Chefe da Unidade Celular de Saúde (UCS), Capitão Médico Fábio de Queiroz Teixeira, esta é a primeira vez que uma UCS foi ativada para participar do EXCON Tínia. “Para nós da Saúde Operacional, é uma oportunidade única treinar o atendimento dos militares envolvidos na missão em campanha. Com isso, conseguimos dar o apoio à atividade operacional da Força e também fazer o treinamento dos militares envolvidos na missão”, salientou.

Já a Especialista em Enfermagem Sargento Michelle Lima Soares contou que a interação dos profissionais do HCAMP na missão aproximou a saúde operacional da aviação. “Isso é uma condição sine qua non na Força Aérea. Nós somos a saúde que estamos cobrindo, prontos para quando os participantes precisarem. E estar em campanha, estar em curso junto com todos os militares do Exercício, fez toda a diferença para a nossa equipe”, disse.

1º GCC

Nos bastidores do Teatro de Operações, também esteve o Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), responsável pela montagem de uma infraestrutura técnica e operacional capaz de otimizar o controle aéreo e prover diversos serviços, como o acesso à internet, intraer e telefonia.

Com equipamentos montados em Santa Maria, os Esquadrões do 1º GCC apoiaram o Exercício Conjunto Tínia para garantir a integração entre as equipes e o controle das operações aéreas militares.

“O Exercício foi muito importante, pois a parte operacional incluiu nossos controladores de voo treinados para cumprirem o treinamento de missões de combate BVR (do inglês, Beyond Visual Range, ou seja, além do alcance visual)”, explicou o Chefe Controlador do GCC, Capitão Fábio Nunes de Oliveira.

Além dessa estrutura, o 1º GCC dispõe do Radar de Defesa Aérea TPS-B34, que tem como principal diferencial ser tridimensional, transportável e com uma enorme capacidade de guerra eletrônica. “O nosso TPS-B34 pode ser alocado em qualquer situação. Onde houver necessidade em um treinamento ou em um emprego real, o Brasil pode contar com o GCC”, ressaltou o Capitão F. Nunes.

Radar TPS-B34

DTCEA-SM

Na ponta da linha da sincronização dos elos do Exercício Tínia, estiveram os profissionais do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Maria (DTCEA-SM), Unidade subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) por meio do Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II).

De acordo com o Comandante do DTCEA-SM, Major Hugo Slavez Filho, no EXCON Tínia foi crucial a coordenação para que as aeronaves decolassem no horário correto, e essa sincronização envolveu todos os elos de defesa aérea.

Além dos militares na Torre de Controle de Aeródromo de Santa Maria, ainda havia um controlador aeroembarcado dentro da aeronave E-99, ambos atuando de forma integrada com o Quarto Esquadrão Mangrulho – Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (4º/1º GCC).

“Nesse contexto, a missão do DTCEA-SM foi de prover todo o suporte necessário relacionado ao serviço de tráfego aéreo para que as tripulações pudessem focar inteiramente na atividade operacional, sempre prezando pela eficiência e segurança”, finalizou o Major.

Informações da Força Aérea Brasileira

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Aviões Boeing 777 podem ser afetados pelo 5G e voos para...

0
Várias companhias aéreas estrangeiras decidiram cancelar a maioria dos voos para os EUA a partir de amanhã, com receio do 5G.