Início Aeroportos

Frankfurt limita voos cargueiros para ter pessoal para atender passageiros

O “caos aéreo” instalado em partes da Europa tem levado a uma mudança de prioridades no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha.

Imagem: pixabay (https://pixabay.com/photos/airport-frankfurt-fra-lufthansa-3728956/)

O maior aeroporto do país e principal sede do Grupo Lufthansa, maior companhia aérea da Europa em frota e pessoal, tem conquistado o espaço do seu “vizinho”, o aeroporto Frankfurt-Hahn, como porta de entrada e conexão de cargas da cidade alemã. Com o esvaziamento causado pela pandemia o Frankfurt-Main viu a oportunidade de receber mais voos cargueiros.

No entanto, agora, as coisas devem se inverter novamente. A volta, acima do esperado, da demanda por viagens tem causado problemas com a falta de pessoas, de tal modo que agora será necessário voltar o foco à essência do aeroporto: o tráfego de passageiros.

A falta de funcionários para dar conta de todo esse contingente de passageiros tem causado confusões em Londres, Amsterdã, e até fez com que a Alemanha relaxasse a regras de imigrantes que queiram trabalhar no país, desde que sejam nos aeroportos. Isso não foi suficiente, e agora uma medida extra foi tomada: a restrição de voos cargueiros, que não poderão operar em horário de pico, numa espécie de “rodízio”.

Segundo o portal Cargo Forwarder Global, estará proibido o pouso de aviões cargueiros no final do dia na sexta-feira (hora do rush), no início das manhãs e finais de tarde de sábado e domingo, já que todo o pessoal de solo, controle de tráfego aéreo e outros funcionários deverão focar a sua força de trabalho nos voos de passageiros.

A medida vale durante todo o verão europeu e começou a vigorar ontem, 1 de julho. Ao menos 30 voos regulares de carga já foram afetados, dentre eles da Latam, Cathay Pacific, Emirates, China Southern e Korean Air.

A Lufthansa já apontou que está tomando as medidas para reduzir o impacto em seus clientes e suspendeu o embarque de animais vivos, principalmente peixes ornamentais e camarão, que são cargas mais sensíveis e que não podem ficar muito tempo em solo aguardando outro voo ou descarregamento.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile