GOL demitirá por justa causa funcionário que não se vacinar

A única empresa aérea brasileira a tornar compulsória a vacinação contra o coronavírus, a GOL, demitirá por justa causa quem não optar pela imunização.

A empresa segue o modelo de algumas estrangeiras, como a United Airlines, que deu um prazo para que os funcionários se vacinem. Depois disso, pode ocorrer a demissão sem indenização, por descumprimento de políticas internas.

O mesmo acontecerá na GOL, que já tinha avisado que iria tornar obrigatória a imunização contra o coronavírus, mas ainda não tinha verbalizado a questão da demissão por justa causa, a qual não dá direito ao seguro desemprego, aviso prévio, saque do FGTS, multa de 40% e pagamento proporcional de férias e 13º.

Esta decisão já foi referendada pelo Ministério Público do Trabalho em fevereiro deste ano. Agora, segundo o site O Antagonista, durante uma live interna, o presidente da GOL, Paulo Kakinoff, confirmou a justa causa como modo de demissão para quem não optar pela vacina.

Existem exceções para as pessoas que não podem tomar vacinas por recomendações das próprias fabricantes dos imunizantes e das autoridades médicas. Estas continuarão trabalhando na companhia aérea, desde que provem sua condição de exceção.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

CEO da Ryanair critica Boeing: ‘Vocês precisam renovar seus chefes’

0
O polêmico CEO da Ryanair, Michael O'Leary, geralmente tem pouca dificuldade em falar o que pensa e a bola da vez foi a Boeing, criticada