O que a GOL Linhas Aéreas espera para o 2º trimestre e semestre de 2021?

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A GOL Linhas Aéreas anuncia nesta quarta-feira, 26 de maio, suas perspectivas preliminares gerais e projeções financeiras para o segundo trimestre (2T21) e segundo semestre (2S21) de 2021.

Segundo trimestre (2T21)

Durante o mês de maio, a GOL observou uma melhora significativa nas suas vendas de viagens aéreas no mercado doméstico. Embora a trajetória na recuperação da demanda pós-pandemia seja de difícil previsão e ainda persista um elevado grau de incerteza, os avanços na aplicação de vacinas pelo Programa Nacional de Imunização no Brasil estão impactando positivamente no tráfego de transporte aéreo.

O aumento nas vendas se soma a outras iniciativas importantes da Administração, que também estão proporcionando melhorias significativas nessa fase de recuperação. Para o 2T21, a Companhia espera uma taxa de ocupação de 81% (versus os 79% projetados anteriormente), e custos unitários recorrentes 40% inferiores quando comparados ao 2T20 (versus os 27% inferiores da estimativa
anterior).

A reintegração do programa de fidelidade Smiles da GOL viabiliza sinergias no Grupo, melhora a capacidade creditícia da Companhia e aumenta os seus fluxos de caixa e lucro. A aquisição da participação minoritária na Smiles está prevista para ser concluída em 23 de junho.

Até o final do 2T21, a GOL terá realizado quase R$3 bilhões de novas emissões de capital, que incluem um aumento de capital de até R$512 milhões iniciado e liderado pelo acionista controlador, o R$1,5 bilhão re-tap do Programa Garantido da Companhia, e as ações a serem emitidas pela GOL para a aquisição da participação minoritária da Smiles.

Ademais, a Companhia quitou integralmente o empréstimo de curto prazo de US$250 milhões, que recebeu em agosto de 2020, o qual, junto com o término da aquisição de participação minoritária na Smiles, liberam valiosos ativos não onerados. Com esses eventos, a GOL encerrará o segundo trimestre de 2021 com suas principais obrigações financeiras endereçadas.

Segundo semestre (2S21)

A Companhia também estará muito bem posicionada para capturar o crescimento do mercado doméstico brasileiro de transporte aéreo esperado para o segundo semestre deste ano, iniciando em junho/21 como o mês de transição para a alta temporada.

Combinadas, essas medidas propiciaram que a Companhia tivesse uma maior visibilidade de seus resultados para o segundo semestre de 2021 e, portanto, a GOL está retomando as suas melhores práticas regulares de projeções financeiras.

As estimativas da Companhia destacam as principais métricas que impactam os resultados financeiros e alavancam valor aos acionistas. A GOL fornece informações prospectivas com foco nos indicadores mais relevantes que a Companhia utiliza na avaliação de desempenho do seu negócio.

Essas perspectivas financeiras poderão ser ajustadas visando incorporar a trajetória de recuperação da pandemia e seus efeitos na demanda por transporte aéreo, a evolução do desempenho operacional-financeiro da GOL, e o cenário econômico brasileiro, incluindo mudanças em tais variáveis como crescimento do PIB, taxas de juros, taxas de câmbio, e tendências de preço do petróleo.

A adequação da capacidade à demanda é um diferencial competitivo da gestão operacional e financeira da GOL, e fundamental para sua estratégia de maior crescimento. No Brasil, essa estratégia fez com que a Companhia fosse a aérea com melhor desempenho quanto à preservação de liquidez durante a segunda onda de Covid-19 em março e abril/21.

A GOL foi a que mais devolveu aeronaves nos últimos anos entre seus pares, o que evidencia sua flexibilidade para atender as condições mercadológicas da demanda. A maior parte das devoluções de aeronaves ocorreu de forma orgânica, visto que seguiu o cronograma de renovação da GOL, que prevê o retorno de aeronaves NGs e recebimento de 737 MAXs.

Além disso, o MAX é um componente chave do compromisso da Companhia para alcançar a neutralidade em carbono até 2050, pois esse novo modelo da Boeing consome 15% menos combustível e produz 16% menos emissões de carbono comparativamente aos NGs.

“A conclusão bem-sucedida da vacinação, esperada para esse ano, combinada com os nossos atuais balanço patrimonial fortalecido e base de custos mais enxuta, propiciam maior confiança quanto ao nosso desempenho no segundo semestre de 2021. Também, nos beneficiaremos com a redução do custo da frota nos próximos 10 anos, à medida que recebermos mais aeronaves 737 MAX que irão compor parte significativa da frota da Companhia”, disse Paulo Kakinoff, Diretor Presidente.

“Essas forças permitirão que a GOL capitalize as muitas oportunidades de crescimento e de expansão que agora estão disponíveis nos nossos mercados, permitindo-nos beneficiar de uma forte recuperação na demanda por viagens, à medida que nos aproximamos da temporada de verão no hemisfério sul. Estamos comprometidos em entregar crescimento com lucratividade de maneira ambientalmente sustentável, com menos consumo de combustível e menores emissões de CO₂ por passageiro, ao mesmo tempo em que melhoramos ainda mais a experiência do Cliente GOL, a qual já é líder na indústria.”

Informações da GOL Linhas Aéreas

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias