Governos do Ceará e Rio homenageiam seus pilotos de helicóptero pelo seu dia

Imagem: Ascom SSPDS

Os Governos do Ceará e do Rio de Janeiro emitiram comunicados especiais em homenagem ao Dia do Piloto de Helicóptero, comemorado ontem, 24 de fevereiro, data do ato de heroísmo de profissionais que resgataram as vítimas de um incêndio no edifício Andraus em 1972, em São Paulo. Graças à expertise dos pilotos, cerca de 700 pessoas foram salvas naquele dia.

Veja a seguir os textos preparados por cada Estado para a comemoração.

CEARÁ

Dia do Piloto de Helicóptero: vidas a serviço da população cearense

A missão de salvar vidas, conduzida pelos pilotos de helicópteros da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), leva uma dose de otimismo às localidades mais distantes do Ceará.

Por quase 27 anos, profissionais de segurança que compõem a coordenadoria realizaram importantes serviços à população cearense, por meio de ações policiais, remoções aeromédicas e também transporte de vacinas, entre outras.

Atualmente, 30 pilotos atuam nas cinco bases da Ciopaer, em Fortaleza, Sobral, Juazeiro do Norte, Quixadá e Crateús. Um dos pilotos que atua nessas missões é o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), Emerson Vasconcelos Bastos. Ele comentou sobre algumas das experiências marcantes durante os 13 anos como piloto da Coordenadoria da SSPDS.

Imagem: Ascom SSPDS

“Tem uma ocorrência que acredito que levarei para o resto da vida. Em 2009, realizamos o salvamento de uma senhora que nos relatou ter pedido a Deus que enviasse os anjos Dele. E, para ela, Ele os enviou, porque chegamos até ela de helicóptero.

Quando voamos transportando vacinas de combate à Covid-19, fica esse sentimento potencializado. O que estamos transportando é capaz de salvar milhares de pessoas e esse sentimento traz a nobre sensação de missão cumprida”, testemunha.

Em razão da pandemia, uma dessas missões se destacou: o transporte de imunizantes para todo o Ceará. A ação exige celeridade e, por isso mesmo, pouco tempo separa a chegada de um novo lote de vacina em Fortaleza e o embarque das doses para todo o interior do Estado.

“O que estamos levando para população cearense é a esperança de superar esse difícil momento e com toda a responsabilidade que o momento exige”, reforça o piloto, que esteve presente nas formações de 27 pilotos da Ciopaer e acumula mais de duas mil horas de voo.

Imagem: Ascom SSPDS

Sonhos moldados por tradição familiar

O tenente-coronel Emerson compartilhou um pouco da sua história e suas inspirações. “O meu pai foi cabo da Força Aérea Brasileira, o meu avô do Exército Brasileiro e tenho tios que seguiram carreira na Polícia Militar. Então, acabei me inspirando em meus próprios familiares”, narra ele, sobre o histórico familiar que o levou a integrar o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará.

“Acabei me tornando dois personagens que me imaginava brincando quando criança. Sequer podia imaginar os desdobramentos das minhas escolhas e, por fim, acabei me tornando: bombeiro militar e piloto de helicóptero da segurança pública”, conta com orgulho.

Imagem: Ascom SSPDS

Quando questionado sobre as recomendações para aqueles que têm interesse em seguir a mesma carreira, ele é enfático: “voar é muito mais complexo do que se pode imaginar e você precisa estar preparado para todo o tipo de situação, inclusive situações de emergência. Quando você vê uma aeronave voando, não tem como imaginar a complexidade do planejamento e dos bastidores para que aquele voo acontecesse. Além, claro, de exigir muita dedicação e espírito de equipe”.

“Hoje, posso dizer que Deus tem me abençoado no cumprimento dessa honrosa missão conjunta: ‘vidas alheias e riquezas salvar’ e ‘voar para proteger e salvar’. Ajudar um familiar, um irmão, um amigo, ou um desconhecido é o mister que mistura o que fui enquanto criança e o profissional que me tornei ao servir o meu Estado, estando a serviço de toda população cearense”, finaliza.

RIO DE JANEIRO

No Dia do Piloto de Helicóptero, Bombeiros destacam ação na Serra

Imagem: Governo do Rio de Janeiro

O Dia do Piloto de Helicóptero é comemorado nesta quarta-feira, dia 24 de fevereiro. E esses profissionais são fundamentais para os quadros do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ).

No primeiro dia de operações de resgate em Petrópolis, após as fortes chuvas que atingiram a cidade no último dia 15, a corporação empregou três aeronaves de salvamento em altura. O trabalho contou, ainda, com helicópteros de outras instituições, como a Secretaria de Estado de Saúde, Polícia Militar e Polícia Civil. Oito aeronaves integraram a força-tarefa determinada pelo Governo do Estado do Rio.

No bairro Caxambu, após sobrevoo de monitoramento de áreas de risco, o helicóptero dos Bombeiros resgatou cinco pessoas que estavam ilhadas e em risco iminente, sendo um bebê de oito meses. Os militares usaram um guincho para o salvamento das vítimas, levando-as para atendimento médico no 32º Batalhão de Infantaria da cidade.

De acordo com o comandante do Grupamento de Busca e Salvamento (GOA), coronel Fábio Braga, o grande desafio foram as condições meteorológicas.

“A nebulosidade era um obstáculo, mas, mesmo assim, com uma equipe especializada, foi possível salvar vidas e fazer os monitoramentos de locais críticos. Hoje, no décimo dia de operação, seguimos monitorando as áreas para reconhecimento de riscos para nossos profissionais que estão em campo e para a população”, relatou o coronel.

Imagem: Governo do Rio de Janeiro

As equipes do GOA são capacitadas para atendimentos diversos: busca e salvamento no mar, lagos e rios; em matas, florestas e montanhas; combate a incêndio florestal e urbano; atendimento pré-hospitalar; transporte de órgãos e enfermos; voos de Defesa Civil; instruções e treinamentos.

Em 2022, até o dia 22 de janeiro, já foram 144 atuações aéreas.

Informações da Assessoria de Comunicação do SSPDS-CE e do Governo do RJ

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias