Governo reforça que não há restrição a combustível de aviação no RS após desinformação nas redes

Imagem: Força Aérea Brasileira

Peças de desinformação repercutem uma falsa restrição no fornecimento de combustível de aviação no Rio Grande do Sul. Com o fechamento temporário do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, as aeronaves da região estão contando com outros nove aeroportos: no próprio estado, Caxias do Sul, Santo Ângelo, Passo Fundo, Pelotas, Uruguaiana além das bases aéreas de Santa Maria e Canoas; em Santa Catarina, Florianópolis e Jaguaruna.

Dentre esses aeroportos, a Base Aérea de Santa Maria tem prioridade para o atendimento militar, com necessidade de planejamento e aprovação da Força Aérea Brasileira para abastecimento civil.

O Ministério de Minas e Energia acompanha o abastecimento de combustíveis no Rio Grande do Sul a partir de uma Sala de Situação criada desde o início das chuvas. Além disso, de acordo com a pasta, as companhias aéreas estão optando por não abastecer nos terminais envolvidos na malha aérea gaúcha para que seja priorizado o transporte de ajuda humanitária e resgate.

A Refinaria Alberto Pasqualini, em Canoas (RS), produz boa parte dos combustíveis derivados de petróleo que são consumidos no estado e mantêm-se em funcionamento. A unidade produz diesel, gasolina, QAV e gás de cozinha, que é distribuído para praticamente todo o território gaúcho. Por estar em um ponto mais alto da cidade, o complexo industrial não foi afetado. A refinaria é autossuficiente na geração de energia elétrica e também tem servido de abrigo para 700 pessoas que tiveram as moradias atingidas pelas águas.

A Petrobras, parceiros e subsidiárias têm atuado em diversas frentes no socorro às vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul. No dia 10/05, a Diretoria Executiva da empresa aprovou a doação de R$ 2 milhões em combustíveis, principalmente Querosene de Aviação (QAV, 500 mil litros), e outros R$ 2 milhões que serão empregados na aquisição de itens de primeira necessidade para comunidades, incluindo os cerca de 600 desabrigados alojados no ginásio da sede social do Clube de Empregados Petrobras (CEPE), em Canoas.

Os valores se somam aos R$ 5,6 milhões doados pela empresa para apoio à população de Canoas e Esteio, atingida pela emergência causada pelas chuvas. O montante foi destinado ao Movimento União BR, por meio do Instituto da Criança, organização sem fins lucrativos, para aquisição de itens de primeira necessidade, como cestas básicas e eletrodomésticos, para atendimento às vítimas.

Por meio dessa iniciativa, também serão destinadas 60 mil refeições desidratadas e filtros de água para as cidades Canoas e Esteio. Além disso, a companhia já doou 126 mil litros de água potável para abrigos e Defesa Civil e irá providenciar 100 banheiros químicos para atender a população desses locais.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Juliano Gianotto
Com uma paixão pelo mundo aeronáutico, especialmente pela aviação militar, atua no ramo da fotografia profissional há 8 anos. Realizou diversos trabalhos para as Forças Armadas e na cobertura de eventos aéreos, contribuindo para a documentação e promoção desse campo.

Veja outras histórias