Guerra faz Airbus trocar desenho na cauda do protótipo do A321 XLR

Foto por Dirk Grothe

A invasão da Rússia na Ucrânia, e as sanções associadas, têm causado mudanças estratégicas em todo o setor aéreo. Com os embargos, os fabricantes não apenas precisaram encerrar seus relacionamentos com empresas russas, mas estão tendo que adaptar seu pacote de marketing. Numa dessas mudanças recentes, os protótipos do Airbus A321 XLR terão suas pinturas alteradas para não mais usar a foto da capital da Rússia na sua cauda.

A ideia da fabricante europeia era usar uma paisagem de Moscou na cauda da aeronave, especialmente no estabilizador vertical, onde está escrito “NEO”. Segundo um novo conceito de design, a empresa tem colocado imagens que remetem a locais conhecidos do mundo e, de certa forma, também agrada aos seus mercados-chave. No entanto, pelo novo alinhamento contrário à guerra, a Airbus está mudando seus planos iniciais.

Segundo apurou o site alemão aeroTELEGRAPH, a ideia de ter a Praça Vermelha e a Catedral de São Basílio, dois ícones de Moscou, ali retratados deu lugar à cidade americana de Québec, localizada no Canadá. Com isso, a cauda das aeronaves receberá uma paisagem do luxuoso Château Frontenac, na cidade canadense, ao lado de outros ícones de várias partes do mundo.

O protótipo do A321XLR deve voar nos próximos dias (o plano da Airbus é que decola no dia 15 de junho). No total, para essa etapa de testes, serão dois jatos do modelo, que têm os números de série 11.000 e 11.058, o último ainda sendo finalizado na linha de montagem e pintura.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Mais de 200 passageiros passam a noite dentro de avião por...

0
Mais de 200 passageiros de um voo da Qantas tiveram que dormir no avião antes da decolagem devido a um alagamento.