Inédito voo de translado da FAB com avião sem piloto teve apoio do 1º Grupo de Comunicação e Controle

O C-130 que levou todo o equipamento para a missão – Imagem: 1º GCC / DECEA

Como visto na última semana, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, na sexta-feira, 23 de setembro, seu primeiro voo de translado de uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) RQ-900 Hermes, de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, até Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

E para que este inédito voo de uma aeronave sem piloto a bordo ocorresse, a FAB contou com o trabalho do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), unidade subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), no apoio ao Esquadrão Hórus (1º/12º GAV).

A operação logística realizada pelo Primeiro Esquadrão do 1º GCC – Esquadrão Profeta – teve início no dia 16 de setembro, quando uma aeronave C-130 do Esquadrão Gordo levou 6,5 toneladas de equipamentos necessários para montagem da estrutura.

Entre as ações, foram deslocados diversos equipamentos, como geradores de energia, serviço de telefonia, computadores interligados em rede intraer e internet e antena para enlace via satélite. Tudo isso para garantir a segurança de voo e do fluxo de informações durante a operação.

Imagem: 1º GCC / DECEA
Imagem: 1º GCC / DECEA
Imagem: 1º GCC / DECEA

O comandante do 1º GCC, Tenente-Coronel Aviador Diego Ilvo Hennig, falou sobre a participação da Unidade na missão do primeiro voo de traslado da aeronave remotamente pilotada da Força Aérea Brasileira:

“É uma grande oportunidade do 1º GCC demonstrar mais uma vez sua capacidade e pronta-resposta ao emprego de seus meios e militares, a fim de fornecer parte da infraestrutura e o serviço de comunicações, comando e controle ao Esquadrão Hórus nessa missão, considerada um marco histórico para FAB.”

Responsável pelo provimento de meios transportáveis de comunicação, controle e alarme aéreo em locais desprovidos destes recursos ou com instalações fixas insuficientes, a Unidade é a única de toda a FAB com expertise e profissionais especializados para o transporte e a montagem destas estruturas imprescindíveis em operações deste porte.

Mais detalhes sobre o inédito voo de translado de um avião sem piloto a bordo podem ser vistos novamente neste link.

RQ-900 – Imagem: Força Aérea Brasileira

Informações do DECEA

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Após pouso duro e 1 mês fora de serviço, Boeing 747...

0
Felizmente para a companhia aérea e para os que admiram os Boeings 747, o equipamento pôde ganhar os céus novamente.