Início Acidentes e Incidentes

Finalmente, Irã enviará para análise as caixas-pretas do B737 derrubado

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Em mais um capítulo da trágica e arrastada história da derrubada do B737-800 ucraniano no início desse ano, finalmente, após seis meses, o Irã fará o envio para análise dos gravadores de dados e de voz do jato derrubado.

Imagem: tjdarmstadt [CC]

O Irã anunciou que finalmente enviará à Ucrânia para análise os gravadores de dados de voz e de voo do B737 operado pela Ukraine International Airlines, abatido por um míssil terra-ar iraniano perto de Teerã em 8 de janeiro de 2020.

Segundo a Reuters, a informação foi dada pelo Ministro das Estradas e Desenvolvimento Urbano do Irã, Mohammad Eslami, na quarta-feira, através da agência de notícias iraniana Tasnim.

O Irã admitiu que o Boeing 737 ucraniano foi derrubado acidentalmente, com o comandante da Força Aeroespacial, Brigadeiro-General Amir-Ali Hajizadeh, da Guarda Revolucionária Iraniana (IRGC), assumindo total responsabilidade pelo trágico desastre aéreo.

A bordo da aeronave todas as 176 pessoas perderam suas vidas. Teerã chamou na época o episódio de “erro desastroso”, em um momento de tensão crescente com os Estados Unidos.

Inicialmente, a Ucrânia não tinha capacidade técnica para ler os dados, mas agora diz possuir essa capacidade, disse o Ministro Eslami. Ele ainda comentou que os americanos teriam fornecido à Ucrânia o software e os documentos necessários para a leitura das caixas-pretas do avião 737-800 fabricado pela Boeing, destaca a Reuters.

A leitura dos dados será realizada em coordenação com a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO), pertencente às Nações Unidas. “A coordenação da ICAO é condição para que a leitura das caixas-pretas seja feita na Ucrânia, na presença de representantes da ICAO”, disse Eslami. “E se as condições não forem fornecidas nesse momento, a leitura ocorrerá na França”, completou o Ministro iraniano.

Anteriormente, o Irã já havia indicado que o trabalho será interrompido e continuará na agência francesa de acidentes aéreos BEA se houver alguma suspeita de risco durante o download dos dados dos gravadores.

O destino dos gravadores de voz e dados da aeronave foi objeto de um impasse internacional, que se juntou à crise do novo coronavírus, o que segundo o Irã também contribuiu para atrasos na investigação da Autoridade Iraniana de Investigação de Acidentes Aéreos (AIB).

O enviado do Irã à ICAO disse na semana passada que a BEA havia sido solicitada pelos investigadores iranianos a realizar a leitura dos gravadores, se pudesse se programar para tal.

Um porta-voz da BEA declarou ter trocado mensagens com o Irã oferecendo suporte técnico, e discutindo a logística devido à crise do novo coronavírus, mas acrescentou que o Irã não transmitiu uma decisão formal sobre a leitura do equipamento, relatou a Reuters.

Apesar de não haver dúvida sobre a causa da queda da aeronave, todos aguardam o final deste trágico e lamentável episódio.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Sair da versão mobile