Irmã da Azul, Breeze Airways pode voar para até 12 cidades no Brasil

A irmã americana da Azul Linhas Aéreas, a Breeze Airways, que tem David Neeleman como fundador, reforça intenções de voos dos EUA para o Brasil.

Imagem: Breeze Airways / Embraer

A declaração veio do próprio David, empresário em série que fundou também a americana JetBlue, e que agora aposta as fichas na Breeze Airways. A aérea que já voa pelo interior dos EUA, onde opera sozinha em 98% das rotas, seguindo o método da Azul, que tem 72% das rotas operadas exclusivamente.

Logo no início da concepção da Breeze, quando da escolha do A220, Neeleman declarou que queria voar da Flórida para o Brasil com o novo jato, originalmente desenvolvido pela canadense Bombardier como CSeries, mas que hoje é parte da “prateleira” da Airbus. Agora, isto foi reforçado e prova que a ideia está viva.

“Existe muito potencial no Brasil, se conseguirmos que o alcance dos aviões chegue aonde queremos, podemos servir de 10 até 12 cidades no Brasil a partir da Flórida, o que seria incrível”, afirma Neeleman ao RoutesOnline.

Imagem: Airbus

Esta questão do alcance está dependendo da Airbus conseguir aumentar o tempo de voo do A220-300 com tanques adicionais ou até mesmo lançar o A220-500, que seria uma versão ainda maior do A220.

Antes da pandemia, a Azul voava para Flórida com voos saindo de Belo Horizonte, Belém, Campinas e Recife, sendo apenas o voo da capital paraense feito com o narrowbody Airbus A320neo, e o restante sendo com o A330 de maior porte e dois corredores (widebody).

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

ATR conquista novo cliente para seus aviões turboélices 42-600 e 72-600

0
Segundo a ATR, suas aeronaves apresentam o menor consumo de combustível e emissões de CO2 entre todos os modelos regionais.