ITA consegue autorização para operar na Itália a partir de outubro

A ITA (Italia Trasporto Aereo) estará operacional a partir de 15 de outubro, voando uma frota de 52 aeronaves que crescerá para 105 até o final de 2025, conforme previsto em o plano de negócios 2021-2025, aprovado pelo Conselho de Administração da empresa e endossado pela União Europeia nesta data. 

O plano prevê também que a ITA poderá adquirir, por negociação direta com a Alitalia, os ativos para o braço de “aviação” (aviões, pilotos, etc.). A marca Alitalia, por sua vez, será comercializada por meio de licitação, emitida e administrada pela própria Alitalia, e da qual participará a própria ITA, por acreditar que a marca é um elemento essencial para o plano. As atividades de “Ground Handling” e “Manutenção” também serão repassadas por meio de licitação pública. 

Durante o período do plano, a ITA planeja contar com um único parceiro estratégico para aeronaves, e as discussões estão em andamento com os principais fabricantes. Todos os funcionários serão contratados com um novo contrato de trabalho. O ramo de “aviação” deverá empregar 2.750 pessoas, aumentando para 5.700 até 2025. Caso a ITA receba contratos para as atividades de “Assistência em terra” e “Manutenção”, 2.650 e 1.100 funcionários extras devem ser empregados, respectivamente.  

O plano da ITA foi aprovado, prevendo-se um volume de negócios que atingirá os 3,3 bilhões de euros em 2025, com um resultado económico de 209 milhões de euros e um break-even operacional a ser atingido até o terceiro trimestre de 2023.  

A princípio, a companhia aérea voará para 45 destinos com 61 rotas, crescendo para 74 destinos e 89 rotas até 2025. Quanto às rotas de longo curso, a ITA fornecerá inicialmente conexões para Nova Iorque, Tóquio, Boston e Miami, enquanto que São Paulo, Buenos Aires, Washington e Los Angeles devem ser adicionados no verão de 2022. Dos aeroportos de Rom) e Milão haverá conexões para os principais destinos da UE. Durante a assembleia geral agendada para julho, será deliberado um aumento de capital inicial de 700 milhões de euros. 

O presidente executivo do ITA, Alfredo Altavilla, afirmou: “A aprovação do plano de negócios do ITA pela Comissão Europeia e a confirmação do cumprimento do MEOP, que atesta a solidez do projeto em termos de investimento por parte do acionista público, é um resultado importante que pavimenta o caminho para o lançamento da ITA. Agora, dentro de 90 dias, devemos concluir a transição que levará à decolagem da primeira aeronave em 15 de outubro. Gostaria de expressar os meus sinceros agradecimentos ao Governo italiano e aos nossos representantes em Bruxelas pelo trabalho em equipe que permitiu alcançar este importante resultado depois de meses de negociações”. 

O CEO e director-geral da ITA, Fabio Lazzerini, afirmou: “Estou particularmente satisfeito com o reconhecimento da solidez industrial e financeira que motivou a aprovação do Plano. Um plano que, partindo do cliente e das suas necessidades, colocará a ITA entre as melhores empresas da Europa em termos de sustentabilidade econômica, social e ambiental, garantindo simultaneamente a conectividade a empresas, turistas e cidadãos. Gostaria de expressar os meus sinceros agradecimentos à equipa da ITA pelo entusiasmo e total empenho com que trabalharam durante estes meses desafiadores, e às instituições e stakeholders do setor (ENAC, ENAV, o sistema aeroportuário) pela franqueza e confiança que nos têm mostrado. Agora enfrentamos o grande desafio de lançar uma companhia aérea de sucesso em três meses. Um desafio ao qual vamos dedicar toda a nossa energia“.

Informações da ITA

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

JetSmart entra com pedido de voos para 10 cidades do Brasil...

0
Após obter, em janeiro, a aprovação como nova operadora no Peru, a chilena JetSMART agora entra com pedido para uma grande malha de voos.