Itapemirim assina acordos para trazer mais dois jatos Airbus A320 ao Brasil

ERRATA: mencionamos três jatos, mas na realidade são dois os que estão mais próximos de serem trasladados ao Brasil, embora sem data definida.

Itapemirim divulgação

Atualmente com cinco aeronaves voando e mais duas passando por manutenção pré-operacional no Brasil, a Itapemirim trabalha na documentação para trazer mais dois jatos do modelo Airbus A320. Segundo fontes, cada aeronave encontra-se num estágio diferente. São elas:

PS-TUJ: essa deverá ser a marca do A320 de msn 2014, que tem 18 anos de idade e voou antes na LATAM como PR-MBT. Assim como o anterior, já tem toda a documentação de leasing assinada e a empresa trabalha em seu registro no RAB.

PS-KOM: essa deverá ser a matrícula do Airbus A320 de msn 3156, que tem 14 anos de idade e, antes de ser encomendado pela ITA, voou na Latam por treze anos como PR-MBO. Atualmente, a aeronave está nos EUA e a ITA trabalha em seu registro no RAB.

Nenhuma dessas aeronaves têm data fechada para o traslado ao Brasil, mas, tendo em vista que a empresa informou anteriormente que chegaria a dez jatos até o final do ano, é possível (não confirmado ainda) que elas sejam as que vão complementar esse número.

Outros devem entrar em operação

Enquanto a empresa trabalha para aumentar sua frota trazendo novas aeronaves ao Brasil, outra frente busca colocar para voar todos os que já chegaram, em especial o A320 de matrícula PS-MGF (msn 3748) e o A319 de registro PS-SIL (msn 3689).

No caso do A319, que foi alugado da empresa Hi Fly Malta, ele segue estacionado no Rio de Janeiro, passando por adaptações necessárias antes de ser colocado em operação. A expectativa é que ele esteja nacionalizado e liberado até o começo de dezembro.

Por sua vez, o A320 de matrícula PS-MGF, que já passa dois meses estacionado em São José dos Campos, onde também passa por adequações que precedem à vistoria por PCA, parece estar mais próximo de entrar em operação. Na terça-feira (23), o jato decolou para um voo de teste de uma hora pelo interior paulista e sobre o litoral, como mostra a imagem abaixo, da plataforma de rastreamento RadarBox.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião sobrevoa a pista mas não pousa porque os pilotos estavam...

0
Um caso grave deu-se na Ethiopian e poderia ter causado um acidente, quando um Boeing 737 não pousou pelo fato dos pilotos estarem dormindo.