Latam Airlines divulga prejuízo de R$ 2,5 bilhões no segundo trimestre de 2022

O Grupo Latam anunciou nesta terça-feira, 9, os seus resultados financeiros consolidados para o segundo trimestre do ano, que refletem uma retomada gradual da operação, recuperando 72,6% dos níveis de capacidade (medida em ASK) de 2019.

O volume representa mais que o dobro da capacidade do mesmo trimestre de 2021, um crescimento de 135,2%. Essa recuperação da capacidade é explicada principalmente pela solidez dos mercados domésticos no Brasil, Colômbia e Equador, além da recuperação das operações internacionais, e ocorre em um contexto marcado por forte aumento do preço dos combustíveis.

No período, a receita operacional total do grupo atingiu US$ 2,22 bilhões, 6,1% a menos do que em 2019, mas registrou um aumento de 150,5% em relação ao ano passado. Por sua vez, os custos aumentaram 3,5% em relação ao mesmo trimestre de 2019, impulsionados por um aumento de 31,5% na linha de custo de combustível no trimestre em relação ao mesmo período de 2019.

Ao final do segundo trimestre, a LATAM teve prejuízo de US$ 523,2 milhões, o equivalente a cerca de R$ 2,5 bilhões, reportou a própria empresa.

Roberto Alvo, CEO do LATAM Airlines Group, comentou que “encerramos um segundo trimestre com um progresso significativo em nosso processo de reorganização do Capítulo 11 e esperamos sair dele durante o último trimestre deste ano. Apesar de termos avançado na recuperação operacional, continuamos cautelosamente otimistas em relação aos próximos meses, monitorando de perto os preços dos combustíveis e as variáveis ​​macroeconômicas, pois o setor ainda se encontra em um ambiente muito dinâmico.”

No período, o grupo LATAM obteve a aprovação do Tribunal de Falências dos Estados Unidos para seu Plano de Reorganização e assegurou seu financiamento de saída.

Na Assembleia Geral Extraordinária de Acionistas (JEA), a LATAM obteve a aprovação necessária de seus acionistas para a nova estrutura de capital da empresa e a emissão dos instrumentos de financiamento apresentados no Plano. Recebeu o apoio da grande maioria dos acionistas, que corresponde a 99,8% das ações presentes ou representadas na Assembleia, e a 77,5% do total de ações com direito a voto, permitindo à LATAM iniciar a fase final dos requisitos regulatórios no Chile para eventual implementação do Plano.

A LATAM já iniciou o processo de registro dos instrumentos do Plano no Chile, que começou com a apresentação do pedido de registro dos instrumentos perante a Comissão do Mercado Financeiro (CMF) em 8 de julho deste ano.

Informações da Latam

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Turkish irá aumentar sua oferta de assentos para o Brasil em...

0
A companhia aérea de bandeira da Turquia terá um aumento expressivo das suas operações no Brasil com o jato Airbus A350XWB.