LATAM é autorizada a voar o Boeing 787 com tripulação brasileira

A integração das subsidiárias do Grupo LATAM avança e agora tripulantes brasileiros poderão voar o Boeing 787 Dreamliner.

Como adiantamos aqui semanas atrás, tripulantes da LATAM Brasil estavam no Chile fazendo a certificação inicial para voar o modelo, que já é utilizado pela subsidiária chilena do grupo. Agora, uma certificação temporária foi emitida na ANAC, segundo decisão publicada hoje (2) no Diário Oficial da União.

A decisão exime a LATAM de cumprir alguns requisitos para voar o Boeing 787 no Brasil, até que o processo seja completamente concluído. Dentre os requisitos que estão isentos de cumprimento durante o período, estão a demonstração de procedimento para evacuação em emergência e o número mínimo de comissários relacionados a esta demonstração de evacuação.

Dois outros pontos em especial chamaram a atenção. Um eles é que a decisão é específica para o 787-9 Dreamliner, versão “intermerdiária” do jato, e não para o menor 787-8, também operado pela LATAM Chile mas em menor quantidade. O outro é o que limita as operações no período de hoje até 31 de dezembro de 2022 apenas para 300 passageiros, ante a capacidade de 304 do jato 787-9 na LATAM.

A decisão também fala que as regras se aplicam tanto para aeronaves em intercâmbio (de matrícula chilena operando com tripulação brasileira) ou aeronaves registradas no Brasil voando com tripulantes nacionais.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Marinha do Brasil recusa oferta saudita e afunda seu último porta-aviões

0
Apesar das preocupações de que o porta-aviões aposentado estava cheio de materiais tóxicos, o Brasil afundou uma nave desativada no oceano.