Liberadas belas imagens da conversão do 1º Boeing 767 cargueiro da Air Canada

O Boeing 767 sendo convertido, em cena do vídeo que você assitirá abaixo nesta matéria

A Air Canada deu as boas-vindas à primeira de suas aeronaves Boeing 767-300ER convertidas para cargueiras para sua divisão Air Canada Cargo, marcando um retorno aos cargueiros puros na companhia aérea, que tem uma longa história no transporte de mercadorias ao redor do mundo.

O primeiro avião, convertido em Tel Aviv, Israel, que já pertencia à própria empresa antes de ser submetido à modificação, chegou ao Canadá na noite deste último domingo, 5 de dezembro. O jato de matrícula C-FPCA realizou uma escala em Shannon, na Irlanda, antes de cruzar o Oceano Atlântico.

O Boeing 767 voando rumo ao Canadá – Imagem: RadarBox

Para comemorar a chegada, a Air Canada publicou um interessante vídeo mostrando o processo de conversão do avião, incluindo o corte de uma grande parte da fuselagem para a criação da porta de carga:

História da carga aérea na Air Canada

Quando a Trans-Canada Air Lines (TCA) transportou seu primeiro grupo de passageiros de Vancouver para Seattle em 1º de setembro de 1937, os malotes de correio a bordo representaram o início da Air Canada Cargo.

Em 1943, a TCA foi contratada para transportar correio, carga e passageiros de Montreal para a Escócia, com escala em Reykjavik, na Islândia. Seu voo de carga transatlântico inaugural transportou quatro toneladas de mercadorias prioritárias.

Em 1946, a companhia aérea estava lidando com cargas em duas linhas de serviço: “Expresso Aéreo” para remessas pequenas e “Frete Aéreo” para remessas a granel de um peso mínimo especificado. O potencial de negócios de carga motivou a TCA a criar um Freight Development Bureau (Escritório de Desenvolvimento de Frete), que introduziu um terceiro serviço de “Carga Aérea”, dando aos varejistas, fabricantes e distribuidores canadenses acesso à capacidade transcontinental de frete aéreo pela primeira vez.

A TCA também encomendou cargueiros, incluindo um Bristol 170 Mark 31 para uma rota totalmente de carga entre Montreal, Toronto e Nova York. Três das aeronaves estiveram em serviço de 1953 a 1955, mas infelizmente tiveram a carreira mais curta de todas as aeronaves da frota da TCA, porque não eram competitivas o suficiente para um negócio de carga transcontinental.

Quando a TCA foi rebatizada como Air Canada no dia de Ano Novo em 1965, o tráfego de carga ainda estava subindo e, além de adquirir novos cargueiros, a empresa dobrou o tamanho de seu hub de carga em Toronto.

A Air Canada logo começou a oferecer um serviço internacional garantido de pequenos pacotes. Em 1977, a Air Canada Cargo foi oficialmente criada e, no ano seguinte, reconhecida como uma divisão separada na companhia, contribuindo com aproximadamente US$ 150.000 em receita operacional.

Nos anos seguintes, a Air Canada adquiriu três cargueiros Boeing 727-100, bem como dois Boeings 747 Combi, e posteriormente vários Douglas DC-8-73F.

Na década de 1980, a pintura de carga mais distinta da Air Canada até hoje foi aplicada nos DC-8. Esses cargueiros permaneceram em serviço até a década de 1990, quando a Air Canada retirou seus cinco jatos restantes. Isso marcou o fim da rede doméstica de cargueiros da Air Canada Cargo, após 34 anos voando os DC-8s.

Por volta desse mesmo período, dispositivos de carga unitária padronizados (ULDs) foram introduzidos para os porões das aeronaves de passageiros de corpo largo, incluindo os Boeings 767, bem como nos Airbus A320 de corpo estreito na frota. A utilização de ULDs adicionou a capacidade equivalente de quatro cargueiros DC-8 à rede da Air Canada.

Em 2021, mesmo sem aviões puramente cargueiros, a Air Canada Cargo é a maior provedora de serviços de carga aérea do Canadá, medida pela capacidade de carga, com presença em mais de 50 países e com centros em Montreal, Toronto, Vancouver, Chicago, Londres e Frankfurt.

Durante a pandemia da COVID-19, a Air Canada converteu temporariamente várias aeronaves Boeing 777 e Airbus A330, removendo os assentos de passageiros e permitindo que carga adicional fosse carregada na cabine.

Agora, além de receber cargueiros Boeing 767-300ER recém-convertidos, a Air Canada Cargo está se expandindo e diversificando para incluir uma série de novos serviços, incluindo uma parceria com a Drone Delivery Canada para ajudar a comercializar sua tecnologia de entregas por drones.

Com informações da Air Canada

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

ATR conquista novo cliente para seus aviões turboélices 42-600 e 72-600

0
Segundo a ATR, suas aeronaves apresentam o menor consumo de combustível e emissões de CO2 entre todos os modelos regionais.