Maduro faz campanha e exige a devolução do Boeing 747-300M retido na Argentina

Boeing 747-300M da Emtrasur – Divulgação – Conviasa

A Venezuela iniciou uma campanha para exigir que a Argentina devolva o Boeing 747-300M da Emtrasur, subsidiária da companhia aérea estatal Conviasa. A exigência vem após os EUA pedirem ao país vizinho do Brasil a apreensão definitiva do Jumbo.

A aeronave, registrada sob a matrícula YV3531, está retida no Aeroporto Internacional de Ezeiza, em Buenos Aires, desde o início de junho, envolta por um quadro de investigação judicial sobre possíveis ligações entre membros da tripulação do avião e grupos terroristas do Oriente Médio.

Usando a hashtag #DevolvenElAvion (Devolva o Avião), todo o arco de instituições venezuelanas ligadas à aeronáutica, mas também de outras áreas do governo, apoiam presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que falou sobre isso durante um discurso na última sexta-feira (5), conforme noticia o site Aviacionline.

Algum dia chegará a hora da justiça, algum dia chegará a hora da verdade, e essa riqueza, esses bens, esse ouro, esses aviões, como o caso da Argentina, que pertence à Venezuela, nós recuperaremos dos sequestros e roubos descarados”, apontou Maduro.

Agora eles pretendem roubar um avião de propriedade legal da Venezuela na Argentina por ordem de um tribunal imperial no estado da Flórida, nos Estados Unidos, pretendem roubar um avião de carga moderno“, continuou o presidente.

Nossa Venezuela levanta seu protesto e pede todo o apoio do povo argentino para recuperar aquele avião que pertence a uma empresa venezuelana e finge ser roubado após tê-lo sequestrado por dois meses, assim como roubaram nosso ouro em Londres”, concluiu Maduro, em referência aos confiscos a que foram submetidos outros bens venezuelanos no exterior, no âmbito de diferentes sanções aplicadas ao seu país.

Diosdado Cabello, primeiro vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela, também falou sobre o caso do Boeing 747, dizendo que “o governo argentino está do lado daqueles que atropelaram o povo da Venezuela (…) Exigimos a devolução do avião venezuelano ao governo do senhor Fernández e que devolva esse avião ao nosso território o mais rápido possível”.

Aquele avião não estava carregando armas, aquele avião não estava colocando em risco a segurança de ninguém, pelo contrário, eles colocaram em risco a segurança da tripulação, negando-lhes abastecimento e colocando-os em órbita até que eles ficassem sem combustível”, acrescentou Hair.

Na semana passada, conforme noticiado pelo AEROIN, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos solicitou às autoridades argentinas a apreensão do Boeing 747-300M, alegando que, como uma aeronave de fabricação americana, está sujeita a confisco.

O motivo são as alegadas violações das leis de controle de exportações relacionadas à transferência não autorizada do avião da Mahan Air (empresa afiliada à Força da Guarda Revolucionária Islâmica-Qods/IRGC-QF) para a Emtrasur, subsidiária da Conviasa.

O Boeing 747-300M foi retido no aeroporto de Ezeiza em 8 de junho, depois que o Uruguai negou autorização para entrar em seu espaço aéreo e ele teve que retornar à Argentina.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Chéquia deve estender o aluguel dos caças Gripen até a chegada...

0
O atraso dos caças stealth F-35 pode forçar a Checa a renovar o contrato de aluguel de caças Gripen da Suécia.