Mãe e Filha fazem história ao pilotarem juntas um Boeing 737

Uma história de família envolvendo a paixão pela aviação levou uma mãe e sua filha a dividirem, pela primeira vez, a cabine de um Boeing 737.

Foto por Schelly Stone – Southwest Airlines

Tudo começou décadas atrás, quando Holly Petitt iniciou sua carreira na aviação depois que saiu da faculdade e quando conseguiu um emprego como comissária de voo numa empresa aérea americana. Um dia, ao voar no jumpseat (assento na cabine de comando), Holly percebeu que sua paixão estava ali naquele lugar e que queria pilotar aviões e não apenas estar dentro deles como uma tripulante de cabine.

Ela começou então a investir na carreira de piloto e durante uma conferência para mulheres na aviação conheceu a Southwest Airlines, que naquele momento estava abrindo portas para as profissionais no setor, dando bolsa para fazerem seu treinamento como pilotos.

Uma entrevista foi marcada, mas ela teve que ser cancelada por conflito com sua escala de voo na outra empresa aérea, deixando Holly com medo de não conseguir a preciosa oportunidade. No entanto, ela persistiu e teve êxito na remarcação da entrevista, que segundo ela “foi a mais incrível da minha vida”. Depois disso, 18 anos se passaram e ela segue no mesmo emprego.

Holly e seus três filhos num Piper Seminole que ela usava para treinamento – Arquivo Pessoal

Em meio a seu treinamento e à profissão, ela cuidava de seus três filhos, dentre eles Keely Petitt. Não foi fácil, mas ela diz que a Southwest apoiou muito. A empresa sempre foi bastante conhecida pelo seu ambiente de trabalho amigável, tendo sido eleita várias vezes uma das melhores empresas para se trabalhar nos EUA.

“Durante uma viagem para San Diego, quando eu era pequena, um dos colegas da minha mãe me deu um grande abraço, me perguntou como estavam minhas aulas de piano e como eu estava indo no campeonato de volêi. A família da Southwest sempre me recebeu muito bem”, afirma Keely.

Anos depois, a jovem decidiu seguir a carreira da mãe e entrou na universidade para começar um curso de pilotagem profissional de aeronaves. Em 2017 conseguiu um estágio na própria Southwest e anos depois, após se graduar, foi contratada como co-piloto do Boeing 737.

Foto por Schelly Stone – Southwest Airlines

E os seus caminhos se cruzaram na cabine no último dia 23, num voo entre Denver e Saint Louis, onde as duas dividiram os comandos de uma aeronave pela primeira vez, marcando a história na Southwest Airlines, sendo a primeira mãe e filha pilotos a voarem juntas na empresa.

“É um sonho se tornando realidade. Eu descobri essa carreira e me apaixonei por ela, e depois um dos meus filhos também se apaixonou, é surreal”, afirmou a mãe-comandante Holly Petitt, após voar com a sua filha.

Este voo inclusive será o primeiro de muitos, já que a Southwest não coloca restrição de familiares trabalharem juntos nos voos.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias