Marinha faz demonstração de helicóptero Viper e Caracal na Ilha do Governador

Uma demonstração de poder e trabalho em conjunto foi feito hoje entre a Marinha dos Brasil e dos EUA, com helicópteros Viper e Caracal.

A chamada demonstração operativa feita na Ilha do Governador contou com representantes de todas as delegações participantes, mas os destaques ficaram pelos veículos. A Marinha do Brasil enviou o helicóptero UH-15 Super Cougar (Airbus H225M Caracal) fabricado em Minas Gerais, que desembarcou fuzileiros navais das nações participantes.

Já os EUA fizeram parte da demonstração aérea com um helicóptero Bell AH-1Z Viper do Esquadrão Red Dogs HMLA-773 dos Corpos de Fuzileiros Navais, baseado em Nova Jérsei, que promoveu apoio aéreo para o pouso do UH-15 brasileiro.

Os veículos terrestres presentes no vídeo são o MOWAG Piranha dos fuzileiros brasileiros, além dos jipes Oshkosh L-ATV e o blindado de ataque LAV-25. Todos os veículos americanos vieram a bordo do USS Mesa Verde, um navio de assalto anfíbio que está na costa do Rio.

Todos os militares e estes veículos participam do Exercício UNITAS, que desde 1960 é o exercício marítimo multinacional mais antigo organizado pelos norte-americanos e, nesta edição, tem o Brasil como coordenador e país-sede. Os principais objetivos da operação são incrementar a interoperabilidade das Marinhas por meio da condução de operações navais, aeronavais e de fuzileiros navais, além de estreitar os laços de cooperação entre os países participantes.

63ª Operação UNITAS

Comandado pelo Contra-Almirante Marcelo Menezes Cardoso, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, o Grupo-Tarefa (GT) brasileiro é composto pelos seguintes navios: Navio-Aeródromo Multipropósito “Atlântico”; Navio-Doca Multipropósito “Bahia”; Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Sabóia”; Fragata “Constituição”; Fragata “Liberal”; Fragata “União”; Embarcação de Desembarque de Carga Geral “Camboriú”; Navio-Patrulha Oceânico “Amazonas”; Navio-Patrulha “Macaé”; Navio de Apoio Oceânico “Purus”; e Navios-Varredor “Aratu” e “Araçatuba”. 

O GT contará, ainda, com um destacamento de Mergulhadores de Combate, uma tropa de 500 Fuzileiros Navais, Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) e o apoio das seguintes aeronaves da Marinha do Brasil: Super Cougar (UH-15); Seahawk (SH-16); Super Linx (AH-11 A/B); Esquilo (UH-12); Skyhawk (AF-1); além das aeronaves “Orion” (P-3AM) e “Bandeirante Patrulha” (P-95), da Força Aérea Brasileira.

Este ano, a Operação terá a participação de dezessete marinhas estrangeiras: Camarões, Chile, Colômbia, Coreia do Sul, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Jamaica, México, Namíbia, Panamá, Paraguai, Peru, Reino Unido, República Dominicana e Uruguai.

Com Informações da Marinha do Brasil

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

DECEA registra cerca de 310.000 operações não tripuladas com drones em...

0
O ano de 2022 somou mais de 310.000 operações não tripuladas, o que demonstra o desenvolvimento acelerado desse novo modal aéreo.