Início Novidades

Messi recebe críticas pelo excesso de voos do seu jatinho Embraer Legacy 650

O craque argentino do futebol, Lionel Messi, tem ouvido diversas críticas nos últimos dias, mas elas não têm nada a ver com qualquer lance em campo, e sim ao uso do seu jato privado com grande frequência.

Por sua vez, quem tem “levantado essa bola” é o diário esportivo francês L’Équipe, que divulgou um infográfico com todas as viagens recentes do dianteiro do PSG, mostrando que o jato do argentino, um Embraer Legacy 650, segundo o jornal, fez 52 voos entre 1 de junho e 31 de agosto deste ano, sendo 30 deles intercontinentais e 14 transatlânticos.

Com isso, o jornal calculou que o jatinho de Messi liberou mais carbono na atmosfera em três meses do que um cidadão-médio francês liberaria em 150 anos.

Messi não foi o primeiro e nem será o último a receber críticas nesse sentido, num momento em que o mundo se mobiliza para reduzir as emissões de CO2 na atmosfera. As próprias viagens regulares de passageiros têm sido criticadas, sobretudo na Europa, onde entende-se que muitas poderiam ser substituídas por trens.

Um ranking recente, divulgado em julho, mostrou quais são os jatos de famosos que passam mais tempo no ar e que, por consequência, mais poluem. No resultado, no entanto, não foi listado nenhum futebolista.

De toda forma, Messi segue viajando aos seus compromissos com todo o luxo de conforto. Sua aeronave, que pode levar até 12 passageiros, voa a Mach .80, ou 980 km/h, aproximadamente, chegando a até 8.300 km de alcance, dando-lhe capacidades intercontinentais. Além disso, quem nela viaja, tem acesso a muito luxo a bordo, assentos-cama e lounges sociais.

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.