Início Aeroportos

Ministra do Turismo quer retomar o protagonismo do “abandonado” aeroporto do Galeão

Aeroporto Internacional do Galeão – Imagem: Google Earth

Em sua primeira reunião, que contou o trade turístico do Rio de Janeiro, a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, destacou que a recuperação do protagonismo do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, o Galeão, que chegou a ser uma das mais importantes portas de entrada no país, será uma de suas prioridades.

Sou ministra do Turismo do Brasil, mas não tem como negar todo o potencial turístico do Rio de Janeiro, que é um dos mais importantes cartões-postais do nosso país. Acredito no diálogo e na construção de políticas públicas que mudam vidas. Contem conosco”, afirmou a ministra Daniela Carneiro.

Durante a agenda, a presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc), Fátima Facuri, ressaltou a importância dos eventos para o setor. “Queremos trabalhar os eventos internacionais para impulsionar ainda mais todo o segmento turístico”, comentou.

Para o secretário de Turismo do Rio de Janeiro, Gustavo Tutuca, o momento é de otimismo. “A expectativa é enorme, temos uma ministra que conhece o estado, tem sensibilidade e uma enorme capacidade política de articulação em um momento que o turismo está se recuperando”, avaliou.

Estiveram presentes, além dos representantes dos hotéis do Rio, Alfredo Lopes, presidente do Sindhotéis; Paulo Michel, presidente da ABIH Rio; Gustavo Tutuca, secretário estadual do Turismo; Sérgio Ricardo, presidente da TurisRio; Cássio Nogueira de Castro, subsecretário de concessões e parcerias do Governo do Estado do Rio; e Pedro Guimarães, diretor-presidente da Apresenta Rio.

NOTA DO EDITOR: Para além das palavras, são necessárias ações que aumentem o turismo no Rio de Janeiro e isso passa por melhorar a infraestrutura e a segurança da cidade. Nos últimos anos, isso tem afastado os turistas, que preferem outros destinos. O Aeroporto Santos Dumont, por consequência, tem concentrado muito do fluxo para o Rio de Janeiro, já que descer no Galeão é considerado muito mais inseguro por causa das vias de e para o aeroporto. A falta de passageiros no Galeão levou a administradora a devolver a concessão, além de várias áreas do aeroporto estarem atualmente fechadas, pois sua operação não se justifica. Como diz o ditado, “falar é fácil”, é preciso portanto “fazer“.

Informações do Ministério do Turismo (adaptado)

Leia mais: