MSC desiste de adquirir a italiana ITA Airways; Lufthansa ainda tem esperança

Airbus A320 da ITA Airways – Imagem: Styyx / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

A MSC, gigante marítima europeia, retirou-se da corrida para adquirir uma participação na companhia aérea estatal italiana ITA Airways. Em agosto passado, a MSC já havia sido retirada da disputa, pois sua proposta, em conjunto com a Lufthansa, foi pior do que do consórcio concorrente.

Em janeiro, a MSC e a Lufthansa formaram uma parceria em uma tentativa de obter uma participação majoritária na ITA Airways, o que faria com que o governo italiano retivesse uma participação minoritária na companhia aérea. Estas empresas enfrentaram, na disputa, um consórcio liderado pelo Fundo Certares, pela Delta Air Lines e incluindo o Grupo Air France-KLM, que acabou escolhido pelo governo italiano para ir à rodada final de negociações.

Mesmo com o processo de venda de parte da ITA Airways ainda em aberto, de acordo com a Reuters, a MSC confirmou na segunda-feira (21) que não está mais buscando ativamente uma participação na italiana. Ela argumentou não acreditar que haja as condições certas para um acordo no momento atual.

Anteriormente liderado pelo primeiro-ministro italiano Mario Draghi, esperava-se livrar rapidamente a ITA Airways do erário público italiano, depois que a companhia aérea ressurgiu das cinzas da extinta marca Alitalia. No entanto, a entrada da nova primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, desacelerou o processo.

Enquanto isso, apesar de perder seu parceiro licitante, a Lufthansa continua, pelo menos parcialmente, interessada em adquirir uma participação na ITA Airways.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Empresa aérea indiana agora proíbe comissários de voo de terem cabelos...

0
Uma mudança na chefia da Air India, principal empresa aérea indiana, está mechendo com a cabeça de seus comissários, literalmente.