Nova companhia aérea atrai pilotos ao oferecer salário de R$ 1,2 milhão mais benefícios

Há uma semana, a start-up americana Connect Airlines anunciou o lançamento de um agressivo programa de recrutamento, que está chamando de Smart Start Captain. Por ele, a empresa oferecerá a até trinta comandantes americanos um salário que promete ser o maior do seu nicho de mercado.

A remuneração oferecida chega a mais de um quarto de milhão de dólares por ano (cerca de R$ 1,2 milhão na cotação atual) e mais benefícios competitivos, acima das concorrentes regionais com as quais rivalizará.

“Reconhecemos os desafios de contratação que o setor está enfrentando e estamos tomando essas medidas sem precedentes para atender aos objetivos de negócios de nossa companhia aérea iniciante, oferecendo aos pilotos segurança econômica e oportunidades de qualidade de vida”, disse John Thomas, CEO da Connect Airlines. “Criar uma nova companhia aérea em um mercado desafiador significa que temos que fazer as coisas de maneira diferente e mais inteligente do que outras”.

Como requisitos, a empresa pede que os pilotos tenham um mínimo de 2.500 horas de tempo total de voo, incluindo 1.000 horas de voo em companhias aéreas com certificação 121 (linha aérea) ou 135 (táxi aéreo). 

Para a empresa, pilotos com esse nível de experiência passaram pelos altos e baixos do setor e estão procurando um melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Com seu serviço regional e aeronaves retornando à sua base todos os dias, a Connect oferecerá aos seus comandantes a oportunidade de definir horários mais inteligentes para otimizar seu tempo de serviço e vida. 

“Estamos procurando comandantes que vejam a oportunidade de construir uma nova companhia aérea e de participar diretamente de como ela funciona e cresce”, disse David Marcontell , diretor de operações da Connect Airlines. “Há um enorme benefício em colaborar com nossos pilotos para construir uma companhia aérea mais inteligente e estamos apoiando isso com um pacote de compensação que é consideravelmente maior do que qualquer outro Regional nos EUA e altamente competitivo com as Low Cost Carriers (LCC) também”.

Certificação

A Connect agora está trabalhando com os reguladores dos EUA e do Canadá para a conclusão de seu processo de certificação antes de iniciar o serviço regular entre o aeroporto Billy Bishop de Toronto e os aeroportos Chicago – O’Hare e Filadélfia. 

As aeronaves turboélice Dash 8 da Connect gerarão até 40% menos emissões de carbono do que os jatos regionais dos EUA que substituem. Além disso, a companhia planeja ser a primeira aérea de passageiros com emissão zero nos EUA por meio de um pedido recentemente anunciado com a Universal Hydrogen para aeronaves movidas a hidrogênio a partir de 2025.   

“Ao voar turboélices, estamos oferecendo aos potenciais comandantes a oportunidade de pilotar uma aeronave de alto desempenho, ao mesmo tempo em que desempenhamos um papel de liderança na redução drástica da pegada de carbono da aviação e ajudando os EUA a atingir suas metas climáticas”, disse Marcontell. “Estamos ansiosos para receber nossa nova classe de aviadores mais inteligentes”.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Força Aérea Brasileira comemora o “Dia da Aviação de Asas Rotativas”

0
No dia 3 de fevereiro, comemora-se o Dia da Aviação de Asas Rotativas devido ao primeiro resgate em combate pela FAB em 1964.