Novo jato Embraer E175 da Polícia Federal em mais um passo rumo a ser posto ‘na ativa’

Recebido no final do ano passado, o mais novo integrante da frota de aeronaves do Departamento de Polícia Federal do Brasil deve entrar em operação em breve. Na próxima semana, mais um passo rumo a esse alvo será dado, com a nacionalização da aeronave, que será realizada nas instalações da Embraer em Sorocaba, no interior de São Paulo.

Em relação a isso, os dados das plataformas de rastreamento de voos mostram que, desde o final de dezembro, o Embraer E175 E1 está em solo paulista, onde passa por uma manutenção de adaptação pré-operacional. Ainda com o registro internacional 2-RLBZ, a aeronave deverá ser rematriculada PS-DPF após o processo de aduana ser concluído.

A esse avião, outro se juntará em breve (sem data informada para traslado). Será mais um E175, que receberá o registro PS-CAV.

Uma grande oportunidade

Desde 2018, a Polícia Federal havia optado por levar adiante o projeto da nova aeronave, porém, diversas oportunidades analisadas no mercado foram descartadas por conta da inviabilidade financeira da aquisição. Mas a situação teve uma mudança significativa no ano retrasado. A pandemia da Covid-19 chegou e afetou profundamente a aviação mundial. Centenas de aviões foram retirados de serviço por conta da falta de demanda por viagens aéreas, e com isso seus preços de mercado despencaram. Surgiu, assim, uma grande oportunidade.

A companhia aérea britânica Flybe fechou as portas e seus aviões foram retomados pelos lessores por falta de pagamento. Fabricados no Brasil e tendo sido financiados pelo BNDES, dois dos jatos E175 da empresa se tornaram uma atraente escolha para retornarem à posse do governo brasileiro para uso pela Polícia Federal.

A um custo de cerca de metade do que valeriam em uma condição normal de mercado, os E-Jets foram confirmados, e então levados para manutenção e pintura na OGMA, a subsidiária da Embraer em Portugal. Após os procedimentos, o primeiro jato finalmente partiu para o Brasil e chegou nesta semana ao hangar do CAV em Brasília. Conforme comentaram os tripulantes que trouxeram o jato, suas qualidades e características de voo são positivamente impressionantes.

O segundo E175 é esperado para o início de 2022. A entrada deles em serviço, porém, ainda depende de definição sobre a instalação da escada na porta das aeronaves. A Embraer produzirá e instalará tais equipamentos, porém, dado seu recesso de final de ano que se aproxima e seu processo de reintegração do negócio de Aviação Comercial ao grupo, haverá uma espera que pode se estender ao longo do primeiro trimestre e além, possivelmente até por volta de abril.

Contudo, na aquisição das aeronaves foi incluído apoio de handling de 6 meses, de forma a, inicialmente, receber apoio de pushback e escada, até que a instalação seja efetivada.

Quanto aos ERJ-145, eles ainda deverão permanecer em uso após a estreia dos Embraer 175, porém, agora sem a sobrecarga de serem o único vetor de transporte rápido de longo alcance da Polícia Federal.

Em termos gerais, além dos dois ERJ-145 e dos três Cessnas Grand Caravan citados acima, a Polícia Federal tem também um Beechcraft Super King Air 350i e seis helicópteros dos modelos Agusta Westland AW139 e Eurocopter AS350 B2 e AS355 N.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Piloto do Antonov An-225 volta a voar após quatro meses, mas...

0
Nos últimos cinco dias, o piloto Dmytro Antonov publicou novos vídeos em seu canal no YouTube, informando que está seguindo para