Oculto no radar, jatinho em que Lula voou ontem custa R$ 350 milhões

O ex-presidente e novamente candidato ao Planalto, Luís Inácio Lula da Silva, voltou a viajar no jatinho que pertence à empresa da qual os sócios da Prevent Sênior, são os donos. Uma curiosidade é que essa aeronave é oculta das plataformas de monitoramento de voos, como FlightRadar24 ou Radarbox.

Foto: Airjet

Em ano de eleições, o ex-presidente Lula segue sua agenda de visitas a locais diversos no país. Em seu mais recente compromisso, ele embarcou numa aeronave Bombardier Global 6000, um dos maiores aviões executivos do país, e modelo de cerca de US$ 60 milhões (ou R$350, na cotação atual das moedas) que tem algumas unidades registrada no por bilionários brasileiros.

O avião em que Lula voou desta vez tem a matrícula PR-VDR, já pertenceu à mineradora Vale, mas hoje tem como proprietária a empresa de táxi-aéreo AirJet, cujos sócios são Eduardo Fagundes Parrillo e Fernando Fagundes Parrillo, que também são donos do plano de saúde Prevent Senior.

O plano de saúde ficou conhecido nacionalmente durante a pandemia por propor e testar um tratamento alternativo para pacientes de coronavírus, criando uma polêmica que hoje está na justiça, envolvendo o uso da cloroquina e do chamado “Kit Covid”. A prática foi apoiada, à época, por aliados do presidente Jair Bolsonaro.

O VOO DE LULA na aeronave não é o primeiro, uma vez que ele já havia sido visto na companhia da companhia da ex-presidente Dilma Roussef e de outros aliados a bordo do jato, durante um compromisso no sul do país, no início deste ano. Nesta semana, porém, o destino foi outro, já que a aeronave aterrissou Nordeste, voando para Teresina e Campina Grande. A chegada do ex-presidente no Piauí foi gravada, como mostra o vídeo acima (incorporado do Instagram).

O custo do fretamento de um voo como esse não está publicamente informado, mas a ligação entre Congonhas e Campina Grande, por exemplo, voando numa aeronave turboélice King Air C90, custa cerca de R$ 150 mil.

Uma curiosidade é que, apesar de aparecer bloqueado nas principais plataformas de rastreamento de voos como FlightRadar24 e RadarBox, o jato pode ser visto no site ADS-B Exchange, como mostra a imagem abaixo, já que a plataforma tem raízes open source e apresenta dados não-filtrados.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias