Ouça o que disse o piloto da Azul ao pousar em ‘Mayday’ após problema em voo

Um problema em voo no início deste final de semana teve gravada parte das mensagens de áudio trocadas pelo piloto e pelos controladores de tráfego aéreo quando a aeronave se aproximava de seu pouso, trazendo mais uma interessante oportunidade de acompanharmos uma situação como esta em voo.

O avião envolvido na ocorrência foi o Embraer 195-E2 registrado sob a matrícula PS-AEC, operado pela Azul Linhas Aéreas, quando cumpria o voo de número AD-2865 (“Azul dois oito meia cinco”) na madrugada da sexta-feira para o sábado, dias 10 e 11 de setembro, conforme reportou ao AEROIN o CWB Spotter.

O jato partiu às 23h54 do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), com destino ao Aeroporto Internacional de Curitiba/Afonso Pena, em São José dos Pinhais (PR), mas apresentou um problema durante o trajeto, que culminou com a declaração de ‘mayday’, uma palavra usada internacionalmente nas comunicações de rádio em uma situação de procedimento de emergência.

Conforme dados de rastreamento de voo da plataforma RadarBox, os pilotos efetuaram três órbitas de espera nas proximidades de Curitiba antes de prosseguirem para o pouso:

O E195-E2 efetuando órbitas antes de seguir para o pouso – Imagem: RadarBox

Note, no player de áudio a seguir, disponibilizado ao AEROIN por Alexandre Munhoz, que o piloto da Azul pronuncia a palavra ‘mayday’ a cada identificação de seu voo nas mensagens com o controlador da Torre de Controle Curitiba, falando “Azul mayday dois oito meia cinco”:

Como se nota, a gravação de áudio acima nos traz mais uma oportunidade de acompanhar a experiência de uma emergência em voo comercial, mostrando que, mesmo diante da situação fora do comum, o piloto tem total tranquilidade ao se comunicar com o controlador enquanto leva sua aeronave até o pouso.

Embora muitas pessoas fiquem assustadas ou preocupadas ao ouvir falar de um voo em urgência ou emergência, nota-se que o primeiro controlador de tráfego até mesmo deseja um bom pouso aos tripulantes do voo da Azul, afinal, os pilotos são periodicamente treinados para lidar com eventuais problemas, e as aeronaves possuem sistemas redundantes que permitem a continuidade segura da operação do avião.

Após o pouso no Aeroporto Afonso Pena na madrugada do sábado (11), o Embrear 195-E2 permaneceu em solo até a manhã deste domingo (12) e então partiu para um voo regular para Belo Horizonte, completado sem intercorrências. Traremos atualizações sobre o que causou esta emergência quando as informações a respeito se fizeram conhecidas.

Atualização: o CENIPA apresentou mais detalhes sobre o incidente. Clique aqui para acessar.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Companhia aérea perde criança de 12 anos no aeroporto após erro...

0
Uma mãe foi às redes sociais compartilhar seu drama, depois que sua filha de 12 anos foi perdida pela American Airlines no aeroporto