Início Novidades

Passageiro consegue embarcar em Manaus com o que não deveria, mas é pego ao pousar em Brasília

Aeroporto de Brasília – Imagem ilustrativa – Fonte: Inframerica

A Receita Federal (RF) informou na quinta-feira, 19 de janeiro, que seus agentes aduaneiros identificaram, em operação de fiscalização de rotina, um passageiro de 42 anos que desembarcou no Aeroporto Juscelino Kubitschek, de Brasília, com 13,5 kg de skunk na mala.

O passageiro saiu do Aeroporto Eduardo Gomes, de Manaus, e embarcaria em outro voo com destino ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), se não fosse pela ação dos agentes da Receita Federal.

Eles contaram com o apoio do cão de faro Bruce na detecção da droga e com a atuação integrada com a Polícia Federal, que terminou com a prisão do passageiro infrator.

Segundo a Receita Federal, o skunk apreendido também é conhecido como supermaconha, em razão de possuir elevado teor da substância psicoativa THC, e está avaliado em cerca de 270 mil reais.

O passageiro poderá responder pelo crime de tráfico de drogas, com pena que pode chegar a 15 anos de reclusão, conforme prevê o artigo 33 da Lei Antitóxicos (Lei nº 11.343/2006).