Início Indústria Aeronáutica

Passou o dia esperado e o concorrente chinês do Boeing 737 não foi certificado

Apesar de todo o frisson em torno dos dois exemplares do COMAC C919 que voaram de Xangai para Pequim na semana passada, a Autoridade de Aviação Civil da China (CAAC) – o regulador da aviação civil do país – ainda não concedeu à aeronave seu certificado de tipo (TC). O feito era esperado para o dia 19 de setembro, numa alusão ao nome da aeronave.

Os órgãos reguladores geralmente não estabelecem prazos para tais marcos. No entanto, muitos especularam sobre a data, pois coincidia com a designação da aeronave, como relembra uma publicação do Aviacionline.

A próxima data significativa no calendário é 1º de outubro, o Dia Nacional da China. O país muitas vezes se gaba de suas conquistas em sua celebração anual. Portanto, não seria de surpreender que o objetivo original fosse que a nova aeronave recebesse o certificado de tipo pouco antes do Dia Nacional.

Sentimentos mistos na Boeing

A Boeing pode ser beneficiária da certificação C919. Devido ao complicado ambiente político, muitos especularam que a CAAC não recertificaria o 737 MAX até certificar o C919. Uma vez que o partido no poder do país possa reivindicar a certificação para seu avião construído no país, poderá depois abrir as portas para a Boeing e permitir que seus clientes na China comecem a aumentar suas frotas MAX novamente.

Em agosto, o presidente da Boeing China também afirmou que o Zhoushan 737 Completion and Delivery Center está “pronto para a retomada da entrega do 737 MAX” no país.

No entanto, ainda há muita tensão geopolítica; algo que poderia dificultar o retorno do 737 MAX aos céus chineses. No momento, é difícil criar alguma expectativa. Tudo (ou nada) pode acontecer.

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.