Piloto dá meia-volta com avião e pousa sozinho após seu colega de cabine adoecer a bordo

Trajetória da aeronave durante o incidente – Imagem: RadarBox

Um voo de passageiros precisou retomar ao aeroporto de origem logo após um dos pilotos a bordo ficar incapacitado por problemas de saúde. O incidente foi relatado na última segunda-feira, dia 6 de dezembro.

A aeronave envolvida na ocorrência foi um Boeing 737 Max 8 registrado com a matrícula C-GXAX e pertencente à companhia aérea WestJet, que estava realizando o voo WS-1590 de Calgary, no Canadá, para Atlanta, nos Estados Unidos.

De acordo com informações recebidas pelo The Aviation Herald, e também por meio dos dados da plataforma de rastreio de voos RadarBox, foi confirmado que a aeronave decolou do Aeroporto Internacional de Calgary às 19h13 UTC.

Boeing 737 Max 8 da WestJet semelhante ao envolvido no incidente – Imagem: Acefitt, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Enquanto a aeronave subia a 37.000 pés (cerca de 11,28 km) de altitude, um dos pilotos acabou sofrendo um mal súbito que lhe deixou totalmente incapacitado de suas funções no cockpit. Com isso, uma emergência médica foi declarada. Os comissários de bordo ajudaram com os primeiros socorros, enquanto o outro piloto iniciava o procedimento de retorno ao aeroporto do qual haviam partido.

Com os serviços de emergência esperando a chegada do piloto adoecido, a aeronave realizou um pouso sem intercorrências, após cerca de 35 minutos de voo desde o início da descida.

A companhia confirmou o caso, dizendo apenas que um dos pilotos sofreu uma emergência médica, sem dar detalhes. A empresa seguiu, informando que o profissional foi retirado da cabine e que o outro piloto tinha todo o treinamento para seguramente retornar ao aeroporto de partida.

A companhia aérea salientou que “é por isso que há dois pilotos a bordo de uma aeronave”, reiterando a redundância na aviação comercial.

Trajetória da aeronave durante o incidente – Imagem: RadarBox

De acordo com relatos, passageiros perceberam que algo estava errado quando os comissários de bordo ficaram preocupados e corriam para cima e para baixo no corredor. Em certo momento, um dos comissários de bordo foi visto levando o kit de primeiros socorros, incluindo um desfibrilador, para a cabine, o que poderia indicar um infarto do miocárdio ou ataque cardíaco.

Em paralelo, outro comissário verificava entre os passageiros, se havia um médico a bordo. Por sorte, havia um e mais duas enfermeiras, que ajudaram nos primeiros-socorros. O piloto parecia consciente, embora a nítida apreensão da equipe.

Ainda não há informações sobre o estado de saúde do piloto e nem indicação se o adoecido era o comandante ou o primeiro oficial (copiloto). A aeronave permaneceu em solo por cerca de 21 horas até realizar um novo voo.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias