O polêmico Roc chama atenção em passagens baixas no seu voo de teste

O diferente avião modelo 351 da Stratolaunch Systems, apelidado de Roc em alusão ao nome da enorme ave de rapina lendária na mitologia popular do Oriente Médio, finalmente voou na quinta-feira, 29 de abril, conforme pudemos acompanhar em transmissão ao vivo, e o teste gerou incríveis imagens que têm chamado a atenção nas redes sociais.

A aeronave, que tem gerado polêmica com suas duas fuselagens e 117 metros de envergadura, mas que foi assim especialmente projetada para ser uma plataforma de lançamento de foguetes, espaçonaves e veículos aéreos supersônicos, voltou a ganhar o céu pela segunda vez em sua história, após sua primeira e única decolagem ter acontecido em abril de 2019.

Durante o teste, que durou pouco mais de 3 horas e 10 minutos, o Roc sobrevoou o deserto de Mojave nas proximidades do Mojave Air and Space Port, o aeroporto conhecido por sediar projetos espaciais e por estocar grandes aviões aposentados ou temporariamente fora de serviço.

E no final, ao retornar para sua base, o Stratolaunch foi gravado em alguns momentos de chamativas imagens.

Primeiro, a aeronave se aproximou apenas para uma simulação de pouso, abortando a chegada a poucos metros de altura e então fazendo uma bela passagem baixa sobre a pista. As cenas da exótica e grande “ave” são realmente impressionantes, incluindo uma imagem com a “participação” do Boeing 747-400 lançador de foguetes “Cosmic Girl” da Virgin Galactic:

Depois, o Roc fez mais alguns sobrevoos ao aeroporto em altura intermediária e mais uma simulação de pouso com arremetida, e então finalmente se aproximou para o pouso completo no Air and Space Port. A cena do diferente avião no pouso também não deixou nada a desejar para a da passagem baixa, sendo bastante impressionante:

Embora não seja tão comprido ou tão alto quanto os maiores aviões em operação na atualidade, a envergadura de 117 metros do Stratolaunch o coloca com mais de 28 metros de vantagem sobre o enorme e famoso cargueiro Antonov An-225 Mriya, cujas asas têm 88,4 metros de ponta-a-ponta.

O motivo de uma dimensão tão significativa de asas é a natureza de sua operação. Sendo uma plataforma aérea de lançamento de veículos, o espaço livre entre as duas fuselagens é destinado à fixação do equipamento a ser lançado em altitude.

Caso você não tenha visto ou queira rever o primeiro e voo da aeronave em 2019, você pode clicar aqui ou no título a seguir para assistir ao vídeo.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Investimento em obras de ampliação deve dobrar capacidade do aeroporto de...

0
Concedido à iniciativa privada na sexta rodada de concessões aeroportuárias, em abril de 2021, o aeroporto de Boa Vista (RR)