Popular nos céus brasileiros, turboélice ATR chegará gratuito no MS Flight Simulator

O turboélice regional de maior sucesso da atualidade, o ATR, está chegando ao Microsoft Flight Simulator em breve – e totalmente gratuito.

Divulgação – ATR

Esta novidade, e várias outras, foram anunciadas numa live feita com a Microsoft e Asobo, respectivamente distribuidora e produtora do Flight Simulator, o maior e principal simulador de voo do mundo. O jogo completa 40 anos de existência e chega a um nível de realismo nunca antes visto e, apesar das críticas iniciais, a equipe tem melhorado o software, que tem amadurecido e se popularizado.

Para celebrar este aniversário, uma entrevista de 3 horas com a equipe que faz o simulador foi feita na Twitch, onde foram revelados detalhes interessantes sobre o que esperar do Flight Simulator em 2023. As novidades mais importantes são os lançamentos dos turboélices De Havilland DHC-4 Caribou (antecessor do Buffalo) e o duo ATR 42-600 e 72-600.

No caso do avião canadense militar, ele chega no dia 8 de fevereiro e está sendo produzido pela ORBX, uma das mais renomadas produtoras externas de cenários para simuladores. Já os dois aviões da francesa ATR chegam em março, junto com outras aeronaves ainda não reveladas. Este duo está sendo desenvolvido pela própria Asobo em parceria com a ATR, fabricante do avião na vida real.

O nível de realismo será algo nunca visto numa aeronave default (já inclusa no jogo) da série Flight Simulator. O turboélice terá visão sintética para pouso em baixa visibilidade, radar meteorológico, Eletronic Flight Bag (EFB) com cartas e mapas de solo, além de uma calculadora de performance embutida para cálculos de decolagem e pouso.

Por fim, os jatinhos executivos Cessna Citation CJ4 e Latitude terão seus sistemas de voo completamente reformulados, incluindo o Garmin G5000 do modelo maior. Estas mudanças nos aviônicos de várias aeronaves chegam já em janeiro.

Uma próxima aeronave que poderá receber essa “reforma” é o Boeing 787-10 Dreamliner, que junto do 747-8 recebeu fortes críticas pelo modelo de voo irreal, além de um computador de voo nada funcional, sendo inclusive muito complicado realizar voos simples e básicos, como dar uma volta pela cidade.

Por enquanto, a atualização nos jatos da Boeing não está confirmada, mas é algo que os produtores falaram que tem em mente para o futuro.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias