Por pouco, jato Embraer e Boeing 777 quase colidem durante decolagem mal coordenada

Stickpen, CC0, via Wikimedia

Uma investigação do Transportation Safety Board do Canadá (TSB) identificou informações imprecisas do transponder como um fator contribuinte para um incidente grave em que dois aviões quase colidiram na pista do aeroporto mais movimentado do país, em Toronto. O relatório do incidente acaba de ser divulgado pelo TSB (referência A20O0029).

Como foi

Em 7 de março de 2020, às 09:48 (hora local), um jato Embraer E190 da Air Canada com destino a Denver (EUA) estava realizando uma decolagem da pista 06L no Aeroporto Internacional de Toronto, enquanto um Boeing 777 da mesma empresa com destino a Halifax (Canadá) foi instruído a alinhar na mesma pista, a afim de aguardar a partida do jato brasileiro. 

Enquanto o Embraer 190 acelerava na decolagem, o jato atingiu um pássaro, forçando a tripulação a rejeitar a partida. No mesmo momento, os tripulantes do E190 avisaram no rádio que estavam abortando o procedimento. No entanto, consta do relatório do TSB que nem o controle de tráfego aéreo e nem a tripulação de voo do Boeing 777 se atentaram a essa chamada de rádio.

Ato contínuo, a torre não se deu conta de que o jato Embraer ainda estava na pista e autorizou o Boeing 777 a decolar. Durante sua aceleração, os pilotos observaram que o Embraer 190 ainda estava na pista e iniciou uma decolagem rejeitada. Ambas as aeronaves finalmente saíram da pista e retornaram ao terminal. Não houve feridos nem danos em nenhuma das aeronaves.

Investigação

A investigação descobriu que o transponder do Embraer 190 transmitiu que a aeronave estava no ar depois que a aeronave acelerou além de 50 nós. Como resultado, embora em conformidade com os padrões atuais, um status impreciso foi transmitido, enquanto a aeronave ainda estava no solo. 

O uso desses dados pelo subsistema de monitoramento de incursões de pista e alerta de conflito (RIMCAS) da NAV CANADA levou à identificação imprecisa do Embraer 190 como no ar. Isso resultou em alertas RIMCAS tardios e imprecisos e atrasou a resposta do controlador de tráfego aéreo ao risco de colisão.

risco de colisões de incursões na pista está na lista de observação da TSB desde sua criação em 2010 e exige procedimentos eficazes para lidar com os perigos identificados em aeroportos e em aeronaves, veículos e instalações de serviços de tráfego aéreo em todo o Canadá.

Medidas tomadas

Após a ocorrência, o TSB emitiu o Aviation Safety Advisory A20O0029-D1-A1 para destacar a importância de dados precisos de status de voo serem validados e transmitidos por transponders e como esses dados são recebidos, validados e usados ​​por monitoramento de pista e sistemas de alerta de conflito para garantir máximo benefício de segurança.

Como resultado, a NAV CANADA publicou Urgent ATCI – ATC Information Bulletin 2020-003 para todo o pessoal da Torre de Controle de Toronto. O boletim alertou os controladores de que os alertas RIMCAS Stage 1 e Stage 2 podem não ser gerados quando certas aeronaves estão partindo e lembrou os controladores para monitorar essas situações de perto.

Uma página da investigação foi publicada, com todos os detalhes desta ocorrência para obter mais informações.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias