Início Mercado

Quatro jatos A340-600, um dos aviões mais compridos do mundo, serão desmantelados

O que são negócios para alguns pode significar o final da linha para outros. Um exemplo disso é a atividade da GA Telesis, que desmonta aeronaves retiradas do serviço comercial, a fim de oferecer peças a operadores atuais. Neste sentido a empresa anunciou nesta quinta-feira (23) que está expandindo substancialmente seu estoque de Material de Serviço Usado (USM) com a desmontagem de um Boeing 777-200ER, dois Airbus A320-200 e quatro aeronaves Airbus A340-600

A equipe de soluções de componentes da GA Telesis gerenciará a distribuição do USM desses três tipos de aeronaves, com base em sua reputação como o principal fornecedor independente de materiais usados ​​de reposição do mundo. Até agora, a linha denominada Flight Solutions Group (FSG) da GA Telesis desmontou mais de 425 aeronaves comerciais com o inventário atendendo aos requisitos operacionais de companhias aéreas e MRO em todo o mundo.

“A indústria está passando por desafios significativos tanto na cadeia de suprimentos quanto nas atividades de tempo de reparo e continuará nesse caminho nos próximos meses”, disse Jason Reed, presidente da FSG. “Com nossa estratégia de capital e investimento funcionando desde o início da pandemia, agora estamos vendo os benefícios de aumentar significativamente nossas desmontagens nos últimos 24 meses. Nossa equipe entendeu as necessidades críticas que as companhias aéreas e os MROs enfrentariam em 2022, aumento de estoque muito mais crucial hoje”, acrescentou Reed.

A empresa ainda não detalhou quais são e onde voaram essas aeronaves, no entanto, o mercado de aviação viu uma quantidade de aviões desses modelos sendo aposentados por grandes empresas durante a pandemia, sobretudo para que fossem trocados por equipamentos mais novos e econômicos.

Um dos tipos diretamente afetados foi o Airbus A340-600, considerado “beberrão” por gastar muito combustível, quando em comparação com aeronaves mais recentes. Isso levou à sua aposentadoria por diversas empresas, como a Virgin Atlantic, Air France e a Iberia, por exemplo. Ainda assim, muitos deles foram adaptados para transportar cargas e seguem em seu novo ofício ao redor do mundo.

Em termos de comprimento, o A340-600 figura entre os maiores aviões do mundo, como mostra a comparação a seguir.

Antonov AN-225 – 84 metros (destruído na guerra da Ucrânia)
Boeing 747-8I – 76 metros de comprimento
Airbus A340-600 – 75 metros
Boeing 777-300ER – 74 metros
Airbus A350-1000 – 74 metros
Antonov AN-124 – 69 metros