Renault é a nova parceira da Airbus para desenvolver a eletrificação da aviação

Imagem: Airbus

A Airbus e o Grupo Renault anunciam nessa quarta-feira, 30 de novembro, que assinaram um acordo de pesquisa e desenvolvimento que visa aumentar transversalidades e sinergias para acelerar os roteiros de eletrificação de ambas as empresas, melhorando seu alcance respectivo de produtos.

Essa parceria ajudará a Airbus a amadurecer as tecnologias associadas às futuras aeronaves híbridas-elétricas e será detalhada no Airbus Summit, que acontecerá de hoje até amanhã, 1º de dezembro.

Como parte dessa parceria, as equipes de engenharia da Airbus e do Grupo Renault unirão forças para amadurecer tecnologias relacionadas ao armazenamento de energia, que continua sendo um dos principais obstáculos para o desenvolvimento de veículos elétricos de longo alcance.

O acordo de cooperação abrangerá principalmente os pilares tecnológicos relacionados à otimização do gerenciamento de energia e à melhoria do peso da bateria, e procurará os melhores caminhos para passar das químicas celulares atuais (íon de lítio avançado) para todos os projetos de estado sólido que possam dobrar a densidade de energia de baterias até 2030.

O trabalho conjunto também estudará o ciclo de vida completo das futuras baterias, desde a produção até a reciclabilidade, a fim de preparar a industrialização desses futuros projetos, avaliando sua pegada de carbono em todo o seu ciclo de vida.

Gilles Le Borgne, Vice Presidente Executivo de Engenharia do Grupo Renault, comenta que, pela primeira vez, dois líderes europeus de diferentes setores estão compartilhando conhecimento de engenharia para moldar o futuro das aeronaves híbridas-elétricas.

“A aviação é um campo extremamente exigente em termos de segurança e consumo de energia, assim como a indústria automobilística. No Grupo Renault, nossos 10 anos de experiência na cadeia de valor de veículos elétricos nos fornecem alguns dos mais fortes feedbacks do campo e experiência no desempenho de sistemas de gerenciamento de bateria. Impulsionados pela mesma ambição de inovar e reduzir a pegada de carbono, nossas equipes de engenharia estão trocando com as da Airbus para convergir tecnologias transversais que permitirão operar aeronaves híbridas e desenvolver os veículos de amanhã”, disse Le Borgne.

Para Sabine Klauke, diretora técnica da Airbus, esta parceria entre setores com o Grupo Renault ajudará a amadurecer a próxima geração de baterias como parte do roteiro de eletrificação da Airbus.

“Alcançar emissões líquidas de carbono zero até 2050 é um desafio único que requer cooperação entre setores, começando hoje. Reunir a experiência do Grupo Renault em veículos elétricos com nosso próprio histórico em demonstradores de voo elétricos nos permitirá acelerar o desenvolvimento das tecnologias disruptivas necessárias para futuras arquiteturas de aeronaves híbridas na década de 2030. Também promoverá o surgimento de padrões técnicos e regulatórios comuns em apoio às soluções de mobilidade limpa necessárias para atingir nossas metas climáticas”, disse a diretora.

Informações da Airbus

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Redução do ICMS do querosene de aviação em Minas Gerais impulsiona...

0
O programa estabelece condições para aéreas obterem redução da base de cálculo do ICMS, ou mesmo isenção, para abastecimento com querosene.