Novo plano para resgatar a South African Airways pode custar mais R$ 3 bilhões

O governo sul-africano precisaria de, no mínimo, R$3 bilhões de reais para conseguir resgatar a South African Airways, aponta o mais novo plano de recuperação da empresa.

South African Airways A350

A equipe de administradores responsáveis pelo plano de salvação da empresa aérea haviam pedido mais uma semana para fecharem um plano, e assim o fizeram. Ontem (16), o mercado tomou conhecimento dos novos termos que estão sendo solicitados a fim de não deixar que a empresa morra.

Segundo a Reuters, a cifra de pouco mais de 10 bilhões de rand sul-africanos (R$ 3 bi) é necessária para resgatar a empresa, mantendo maioria das rotas que operava antes da pandemia.

Desta quantia, seriam em torno de 28% seriam referentes à injeção de capital, 22% de custos com demissões, 30% para reembolso de passageiros, 17% bilhões para os lessores das aeronaves e 3% milhões para outros credores.

O plano desenvolvido pelo Ministério de Empresas Públicas terá que ser submetido ao Ministério de Finanças, que não comentou o caso ainda. Porém o governo local já teria separado em torno de 16,4 bilhões de rands para ajudar a South African Airways, o que pode tornar realidade o plano.

Quando entrou em Recuperação Judicial meses atrás, a empresa contava com 5 mil funcionários e 44 aviões. Segundo a projeção do próprio plano do governo, em agosto a empresa irá precisar de apenas mil funcionários e seis aviões devido à recuperação lenta da demanda. Ou seja, vai continuar com uma estrutura inchada, que já amarga 10 anos de prejuízos.

Boa parte dos aviões, a maioria de grande porte, já foi devolvida nas últimas semanas, como mostramos aqui:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias