Resultados da Embraer no crítico 2020: prejuízo de R$ 2,37 bi e caixa de R$ 14 bi

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Aviões Embraer A29 Super Tucano, Praetor 600, KC-390, E195-E2 e E175-E2

A Embraer divulgou nesta sexta-feira, 19 de março, seus resultados operacionais referentes ao quarto trimestre de 2020 (4T20), bem como ao ano de 2020, mostrando os impactos do crítico ano de crise da aviação mundial.

Como destaques em relação aos dados, a fabricante brasileira apresenta:

– No 4T20, a Embraer entregou 28 aeronaves comerciais e 43 executivas (23 jatos leves e 20 grandes), fechando 2020 em 44 aeronaves comerciais e 86 executivas (56 jatos leves e 30 grandes). Em 2019, haviam sido 89 comerciais e 109 executivas (62 leves e 47 grandes).

– Sua carteira de pedidos firmes (backlog) ficou em US$ 14,4 bilhões no 4T20, frente a US$ 16,8 bilhões no 4T19;

– A Receita líquida atingiu R$ 9,812 bilhões no 4T20 e R$ 19,641 bilhões no ano de 2020, representando crescimento de 14% em relação aos R$ 8,585 bilhões no 4T19 e queda de 10% em relação aos R$ 21,802 bilhões do ano anterior;

– No 4T20, a Embraer apresentou Prejuízo líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) de R$ 70,3 milhões e Prejuízo por ação ajustado de R$ 0,10. Assim, em 2020, a Embraer reportou um Prejuízo líquido ajustado de R$ 2,372 bilhões e um Prejuízo por ação ajustado de R$ 3,22, frente a R$ 862 milhões e R$ 1,17 em 2019, respectivamente;

– No 4T20, a Embraer reportou uma melhora significativa em sua Geração livre de caixa ajustado, que foi de R$ 3,709 bilhões, levando a um Uso livre de caixa ajustado de R$ 4,757 bilhões em 2020;

– A liquidez da Companhia permanece sólida e fechou 2020 com um caixa de R$ 14,303 bilhões, acima dos R$ 11,205 bilhões de 2019. Ao final de 2020 a Embraer apresentava uma posição de Dívida líquida de R$ 8,811 bilhões, enquanto em 2019 o valor era de R$ 2,468 bilhões;

– Devido à incerteza relacionada à pandemia da Covid-19 e seus impactos na indústria, a Companhia decidiu por não publicar, nesse momento, suas estimativas financeiras e de entregas para 2021.

AVIAÇÃO COMERCIAL

Em dezembro, a Belavia, a transportadora aérea nacional da Bielorrússia, recebeu sua primeira aeronave E-Jet E2. O avião é o primeiro de três jatos E195-E2 a ser arrendado à Belavia pela companhia de leasing AerCap.

A aeronave, configurada em um confortável layout de classe dupla com 125 passageiros no total, sendo nove assentos em classe executiva e 116 em econômica. A Belavia planeja utilizar suas novas aeronaves em rotas populares como Londres, Barcelona, Nur-Sultan, Munique, Paris, Sochi e Amsterdam.

O primeiro E190 da Myanmar Airways International (MAI) iniciou suas operações a partir de Rangum em 21 de dezembro, operando quatro voos diários. Além disso, o segundo E190 da MAI chegou ao país em 23 de dezembro de 2020, permitindo à companhia aérea expandir suas rotas do E190 para incluir nove destinos em todo o país, substituindo os turboélices utilizados por sua companhia aérea irmã, a Air KBZ.

A MAI também assinou o Programa de Pool da Embraer – que tem a aderência de todas as operadoras de E-Jet na Ásia-Pacífico. Existem agora quatro novos operadores de E-Jet na Ásia Pacífico (excluindo-se China) desde o início de 2020.

No mesmo mês, a Embraer divulgou o Commercial Market Outlook de 2020, examinando a demanda de passageiros para viagens aéreas e novas entregas de aeronaves comerciais para os próximos 10 anos. O documento teve uma ênfase especial no segmento de produtos da Embraer, que engloba as aeronaves de até 150 assentos.

O relatório identifica tendências emergentes que influenciarão o crescimento, fatores que moldarão as futuras frotas aéreas e as regiões do mundo que irão liderar a demanda no setor comercial. A Embraer espera a entrega de 4.420 novos jatos até 150 assentos e 1.080 novos turboélices até 2029.

A carteira de pedidos firmes e a entregar da Aviação Comercial encerrou 2020 em US$ 7,6 bilhões, representando 53% do total da Companhia.

AVIAÇÃO EXECUTIVA

Praetor 600

No 4T20, a Embraer anunciou a entrega de um Phenom 100EV e um Phenom 300E para dois clientes brasileiros, separadamente, alcançando a marca de 250 entregas de jatos executivos da Companhia na América Latina.

Também no 4T20, a Embraer anunciou que o Sistema de Orientação por Visão Sintética, do inglês Synthetic Vision Guidance System (SVGS), – para os jatos executivos de porte médio Praetor 500 e supermédio Praetor 600 – recebeu a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e da Federal Aviation Administration (FAA), respectivamente autoridades de aviação civil do Brasil e dos Estados Unidos.

A Embraer é o primeiro fabricante aeronáutico a receber a aprovação da certificação SVGS. O sistema permite que os pilotos operem a aeronave até uma altura de decisão de 150 pés (SA-CAT I), ao contrário da altura de decisão normal de 200 pés, aumentando a eficiência operacional e permitindo o pouso durante condições climáticas adversas.

Ainda no 4T20, a Embraer e a Porsche anunciaram a colaboração em projeto para criar o “Duet”, uma edição limitada da aeronave Embraer Phenom 300E e do carro Porsche 911 Turbo S. A Embraer e a Porsche produzirão apenas dez pares de jatos executivos e carros esportivos. O Duet combina velocidade e estilo, luxo e potência – assinaturas do Phenom 300E e do Porsche 911 Turbo S, resultando em um jato e um carro com designs exclusivos, ambos com seu interior personalizado e pintura inspirada um no outro.

A Embraer entregou o primeiro jato de uma frota de Praetor 600 para a Flexjet. A aeronave será utilizada na expansão das operações da empresa na Europa. A Flexjet é o cliente frotista de lançamento dos modelos Praetor, tendo recebido o primeiro Praetor 500 há menos de um ano, em dezembro de 2019. O negócio, avaliado em aproximadamente US$ 1,4 bilhão, foi anunciado no NBAA-BACE 2019 e compreende uma frota de Praetor 600, Praetor 500 e Phenom 300.

No final do 4T20, a Embraer realizou a primeira conversão de um jato Legacy 450 em um Praetor 500 na Europa para um cliente não divulgado. A conversão foi executada no Centro de Serviço de Jatos Executivos da Embraer no Aeroporto Internacional de Le Bourget, em Paris, na França. No total, a Embraer já realizou a conversão de 11 jatos Legacy 450 em Praetor 500 até o fim de 2020.

Pelo 9º ano consecutivo, o Phenom 300 da Embraer foi o jato leve mais vendido do mundo, segundo números da General Aviation Manufacturers Association (GAMA). A Embraer entregou 50 jatos leves Phenom 300 em 2020, tornando-o o jato leve mais entregue do ano.

O Phenom 300 acumulou mais de 590 entregas desde que entrou em operação em dezembro de 2009.

No final de 2020, a Embraer acumulava US$ 1,2 bilhão em pedidos firmes de jatos executivos em carteira, representando 8% do total da Companhia.

DEFESA & SEGURANÇA

Avião Embraer KC-390 Millennium FAB
Imagem: Embraer

Durante o 4T20, diversas aeronaves encontravam-se na linha de produção do KC-390 Millenium, incluindo cinco unidades destinadas à Força Aérea Brasileira (FAB) e uma destinada à Força Aérea Portuguesa. Conforme previsto, a Embraer entregou uma unidade à FAB em dezembro.

As quatro aeronaves KC-390 Millennium já entregues à Força Aérea Brasileira continuam a ser usadas no transporte aéreo logístico, desempenhando papel importante no combate à pandemia do coronavírus no Brasil.

Também durante o 4T20, a Embraer concluiu a preparação de uma aeronave da FAB para o exercício conjunto entre o exército dos Estados Unidos e do Brasil para salto de paraquedistas denominado Culminating.

A Embraer segue com o desenvolvimento dos sistemas de missão militares, através de ensaios em laboratório e nas aeronaves protótipo. O desenvolvimento da versão do KC-390 Millennium, destinada a Portugal, também mostrou avanço significativo no período, concluindo com sucesso a Revisão Crítica do Projeto em outubro.

Destaca-se ainda a assinatura do contrato em novembro, de aquisição de duas aeronaves KC-390 Millenium para as Forças de Defesa da Hungria, segundo país europeu e segundo operador da OTAN a selecionar o KC-390 Millennium.

No 4T20, mais três aeronaves A-29 Super Tucano da Força Aérea da Nigéria foram entregues à Sierra Nevada Corporation, com um total de seis aeronaves entregues em 2020. Ainda sobre o Programa Nigéria, também foi entregue o Advanced Aircraft Training Device (AATD) nas instalações da base aérea de Moody em Valdosta, estado da Georgia.

Em novembro, os dois últimos A-29 Super Tucano foram entregues para Força Aérea do Chile, referentes aos quatro aviões do 3º lote da frota. Outros dois A-29 Super Tucanos tiveram pré-aceitação em Gavião Peixoto em novembro, para um cliente não revelado.

A Embraer também entregou duas aeronaves E-99M, em novembro e em dezembro, as primeiras do modelo modernizado, um marco importante para o programa, dando início à entrada em serviço na Força Aérea Brasileira (FAB).

A campanha de testes em voo do Gripen E começou em dezembro, confirmando a disponibilidade das instalações, sistemas associados e pessoal da Embraer treinado durante o programa de transferência de tecnologia. A campanha de testes em voo será executada em estreita coordenação com a SAAB, fazendo parte da campanha de certificação total da aeronave.

Com relação aos Radares no 4T20, a Embraer entregou cinco Centros de Operações Antiaéreas – COAAe, que serão utilizados para vigilância terrestre. No mês de dezembro, foi assinado um contrato junto ao Exército Brasileiro para a aquisição de dois M60 (versão modernizada).

Durante 4T20, Atech continuou avançando em diversas frentes. No Programa LABGENE (Laboratório de Geração de Energia Núcleo-Elétrica) da Marinha do Brasil foram concluídos os testes de aceitação em fábrica de sistema e instrumentos e concluído a fase de engenharia dos principias sistemas de segurança. Na área de controle de tráfego aéreo, foi entregue a modernização do CINDACTA I e concluído o desenvolvimento e testes do projeto de centralização dos planos de voo no Brasil.

Dando continuidade à implantação do projeto SISFRON, a Savis entregou importantes capacidades adicionais ao Exército Brasileiro, atingindo 84% da Fase Piloto já implantada e em operação pela Força Terrestre.

Em 2020, a Visiona concluiu com sucesso a Revisão Crítica de Projeto (CDR) do nanosatélite VCUB-1, o que marcou o início da Fase de Integração e Testes do artefato. A empresa também assinou diversos acordos para teste e avaliação dos produtos do VCUB, visando o desenvolvimento de tecnologias de aplicação. Em relação ao projeto SGDC, foi entregue a última etapa do contrato principal do projeto, restando contratos de apoio às operações do satélite.

Por fim, a empresa concluiu o primeiro projeto de aerolevantamento com sensor radar de alta penetração, voltado para aplicações de cartografia e fiscalização em ambientes de floresta densa, como a Amazônica.

A Embraer Defesa & Segurança fechou o ano com US$ 3,6 bilhões em sua carteira de pedidos firmes, representando 25% do total da Companhia.

SERVIÇOS & SUPORTE

No 4T20, a Embraer Serviços & Suporte realizou a primeira conferência online para operadores de E-Jets de primeira geração, incluindo novos painéis como “Flying COVID ERA” e “Fleet Upgrade Solutions”. O evento contou com a participação de todos os clientes com um feedback muito positivo aos novos painéis.

Ao longo de 2020, as a Embraer divulgou uma série de disposições técnicas, relacionadas à Covid-19, com o objetivo de amenizar os serviços de manutenção dos operadores, além de permitir o transporte de cargas no interior da aeronave. Além disso, foram publicadas disposições técnicas com diretrizes para transporte de vacinas em aviões comerciais.

Referente a operações em voo e treinamento, a unidade apoiou a entrada em serviço do jato E195-E2 da Belavia com treinamento prático para tripulação de cabine e manutenção, realizando também os voos de traslado de quatro jatos E175 para a Skywest e um E190-E2 para a Helvetic, além de concluir o treinamento a distância do Curso de Engenharia de Operações de voo para a Air Peace e a Myanmar.

No segmento de Aviação Executiva, as vendas de contratos de serviços especiais (EEC – Embraer Executive Care) tiveram um aumento de 5% nos contratos executados em relação ao mesmo período de 2019. Em relação às receitas anuais, as vendas de contratos de serviços especiais cresceram mais de 20%, o que é parcialmente atribuído a um aumento nas transações de aeronaves de reposição.

A rede global de MRO continua a concluir modificações complexas como a conversão do Legacy 450 para Praetor 500, com um total de 11 modificações sendo realizadas na rede de centros de serviço próprios da Embraer em 2020.

Durante o 4T20, o segmento de serviços relacionado a Defesa & Segurança assinou diversos contratos, incluindo um abrangente contrato de suporte logístico integrado para o jato KC-390 Millennium da Força Aérea da Hungria.

Além disso, um importante contrato para apoiar toda a frota da Força Aérea Brasileira (FAB) de jatos EMB 145, Legacy 600 e AEW foi renovado até 2022, dando total suporte à operação dessas aeronaves.

Importante destacar os contínuos esforços para manter os treinamentos de manutenção do KC-390 Millennium, que demonstrou excelente confiabilidade durante extensivas missões humanitárias, principalmente no Brasil, mas também fora do país.

Em novembro, a OGMA (divisão da Embraer em Portugal) assinou um importante contrato com a Pratt & Whitney tornando-se o novo centro autorizado para manutenção dos motores GTF na Europa.

O projeto de industrialização e capacitação para realizar a manutenção do motor Pratt & Whitney GTF está programado para começar em 2021 e será desenvolvido nas próximas duas décadas. Esse é um passo estratégico que permitirá à OGMA expandir o seu âmbito de atuação na área de manutenção de motores e promover o crescimento significativo deste negócio nos próximos anos.

A família de motores GTF da Pratt & Whitney é usada na nova geração de aeronaves comerciais, incluindo a família de jatos E2 da Embraer.

A carteira de pedidos firmes de Serviços & Suporte encerrou o ano em US$ 2,0 bilhões, representando 14% do total da Companhia.

Para acessar na íntegra mais informações operacionais divulgadas hoje pela Embraer, clique aqui.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Grande aposta da Airbus, A321 XLR entra na mira de mais...

0
O presidente-executivo da airBaltic, Martin Gauss, reiterou durante entrevista á revista Airways que os jatos Airbus A321neo XLR, de alcance