Rostec entrega dois bombardeiros Tu-160M ​​​​”Cisnes Brancos” para a Força Aérea Russa

A Rostec, conglomerado estatal russo que reúne as principais empresas russas de defesa, comunicou a entrega de dois bombardeiros estratégicos Tu-160M ​​(apelidado de “Cisne Branco”, devido às suas linhas e pintura branca) para a Força Aérea Russa. Um deles era um Tu-160 regular que passou por profunda modernização para trazê-lo para o novo padrão “M”, e o outro é uma aeronave totalmente nova construída na versão atualizada.

“O Tu-160 é a parte mais importante da tríade nuclear russa, então a modernização dos veículos de combate e a retomada da produção desses bombardeiros estratégicos é nossa tarefa prioritária. Os aviões atualizados superam seus predecessores, receberam novos equipamentos radioeletrônicos a bordo, motores NK-32-02 e outros sistemas. Nos próximos anos, a produção dessas máquinas aumentará”, disse Sergey Chemezov, diretor geral da Rostec State Corporation.

Os testes necessários dos sistemas e motores da aeronave, bem como dos equipamentos radioeletrônicos de bordo, serão realizados na estação de teste de voo, após o que a aeronave será transferida para a Força Aérea Russa. A intenção é construir cerca de 40 novas unidades, a um ritmo de 2 ou 3 Tu-160M ​​por ano.

O novo Cisne Branco

Praticamente não há informações disponíveis sobre as características e novas capacidades do Tu-160M, pois uma grande aura de sigilo envolve tudo sobre esse ativo de fundamental importância para a estratégia de dissuasão da Rússia. Agentes do governo russo revelaram muito pouco. O cockpit foi renovado para padrões modernos e foi assegurado que todos os equipamentos eletrônicos de bordo foram substituídos por novos e mais capazes.

Uma das novidades que o Tu-160M ​​adquire é a adoção de um radar de cauda que escaneia a traseira da aeronave e detectar a aproximação de aeronaves ou mísseis hostis. Outra das capacidades adquiridas, associadas às anteriores, é que será capaz de transportar e lançar mísseis ar-ar de lançamento inverso. 

O radar de cauda do bombardeiro Tu-160M citado acima ​​detectará ameaças que se aproximam pela traseira, sejam mísseis antiaéreos ou caças, e os derrubará usando seus próprios mísseis ar-ar. Este poderia muito bem ser considerado o primeiro meio de autodefesa ativo instalado em um avião de guerra, algo que só os navios de guerra possuíam e, mais recentemente, alguns tanques e veículos blindados.

Por último, mas não menos importante, o Tu-160M, novo e modernizado, incorpora novos motores NK-32-02, que introduzem melhorias em um número significativo de peças e componentes que resultam em uma redução apreciável no consumo de combustível, o que na prática significa que o “Cisne Branco” terá um alcance ainda maior.

Novo voo do primeiro Tu-160M ​​0km

A Rostec também informou que o segundo voo de teste da nova versão do Tu-160M ​​ocorreu em dezembro, quase um ano após seu voo inaugural. Durante o voo, foram realizadas manobras para verificar a estabilidade e controlabilidade da aeronave no ar, o desempenho dos novos sistemas e motores, bem como os equipamentos rádioeletrônicos a bordo.

O Tu-160 é a maior e mais poderosa aeronave supersônica com geometria de asa variável na história da aviação militar, e assim permanecerá nas próximas décadas.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias