Star Air dá vida nova aos seus Embraer E145 com negócio de fretamentos aéreos

Com sua frota parada e entendendo que a pandemia não apenas limitou os modos de transporte das pessoas em toda a Índia, mas também as obriga a procurar opções de viagem mais seguras, convenientes e confortáveis, a novata Star Air decidiu reposicionar seu negócio e passou a oferecer serviços de fretamento usando seus três Embraer E145.

Em comunicado à imprensa, a companhia aérea declara que a demanda por serviços de fretamento aumentou dramaticamente nos últimos dois meses e incentivou as companhias aéreas a iniciar ou expandir ainda mais seus negócios nesse nicho. Da mesma forma, a Star Air, o braço de aviação do conglomerado empresarial indiano Sanjay Ghodawat Group, passou a apostar mais nesse mercado.

Apesar de nunca ter oferecido esse tipo de serviço em seus aviões, o grupo possui uma experiência de mais de 6 anos na operação de serviços de fretamento de helicópteros com sucesso na Ghodawat Enterprises Pvt. Ltd.

A frota da Star Air

A empresa iniciou suas operações em janeiro de 2019 com a missão de “conectar os desconectados”, fornecendo serviços de voo a um custo acessível. Ela fornece serviços para muitas cidades indianas como Bengaluru, Belagavi, Indore, Kalaburagi, Mumbai, Ahmedabad e Ajmer (Kishangarh), com sua frota de três E145, os quais estão parados agora, por conta das restrições impostas pelo governo indiano.

Além dos jatos brasileiros, a empresa possui dois helicópteros – Airbus H130 (6 lugares) e Airbus H135 (5 lugares), e promete ter capacidade para voar um em qualquer lugar da Índia e a qualquer momento, conforme a conveniência.

A Star Air foi elogiada no ano passado por conectar lugares remotos ao iniciar voos comerciais a muitas cidades que não eram agraciadas com serviços de companhias aéreas antes. E agora, depois de ganhar a confiança de mais de 1.000.000 clientes de toda a Índia e atender a inúmeros VIPs proeminentes, lançou seu negócio de serviços de fretamento, relata a empresa.

Além disso, a companhia possui licença válida para negócios de serviços de fretamento e opera de acordo com os protocolos definidos pela DGCA. 

“Estamos muito satisfeitos em expandir nossas operações aéreas, abrindo esses serviços de fretamento privados. Como nossos serviços comerciais regulares, estamos oferecendo um serviço de fretamento de classe mundial, mantendo em mente seu conforto, segurança e experiência geral de voo”, disse Sanjay Ghodawat, Presidente da Star Air.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião tem pane no Aeroporto de Congonhas e fica parado por...

0
O vídeo, gravado durante a transmissão ao vivo, mostra toda a sequência da situação, até o retorno do avião para o pátio.